sexta-feira, 25 de abril de 2014

Num dia assim

O que me irrita é isto: vêm para a rua manifestar-se e para as televisões reclamar. Falam mal do governo e do presidente da República. Alguns apelam ao derrube pela força. Dizem o que lhes vem à cabeça como se não tivessem passado. Recusam esta democracia. Fazem celebrações paralelas. Encenam invasões do parlamento ou da rádio. E queixam-se todos de falta de liberdade.

Parece que lhes puseram antolhos. Pode faltar-lhes dinheiro, trabalho, ou emprego. Saúde, alegria, motivação. Mas liberdade?

A mim falta-me a paciência.

7 comentários:

luisa disse...

Eles não sabem que a estão a celebrar.

Mário Gonçalves disse...

A mim também, Gi. Arre.

Gi disse...

Luisa, têm obrigação de saber.

Gi disse...

Mário, arre parece-me bem :-)

ematejoca disse...

O Mário e os outros têm medo de ser esquecidos e fazem coisas levadas da breca. É a velhice!!!

Que nos falte TUDO, mas que nunca nos falte a LIBERDADE que agora gozamos sem lhe darmos o devido valor.

Gi disse...

Teresa, quanto a Mário Soares e demais dinossauros, não me admiro que tenha razão.
Enerva-me que haja gente nova a confundir falta de emprego com falta de liberdade.

ematejoca disse...

Felizmente que essa gente nova não sabe o que é falta de liberdade, Gi!