domingo, 30 de dezembro de 2007

A dança das cadeiras

A propósito da trapalhada entre o BCP, a CGD, o Banco de Portugal e o desgoverno que temos, o blog Do Portugal Profundo propõe que os clientes e accionistas do BCP que não se revejam na lista Carlos Santos Ferreira para a nova administração (e na maneira como toda a situação está a ser conduzida, digo eu) escrevam ao banco uma carta manifestando a intenção de cancelar as suas contas.

Parece-me uma boa ideia. Como diz o autor do blog, manifestem-se ou resignem-se.

Onde está o Sr. Sousa?

Notícia do Público:

Devido à instabilidade naquele país
Governo aconselha portugueses a evitarem viajar para o Quénia

30.12.2007 - 09h16 Lusa
A Secretaria de Estado das Comunidades aconselhou os portugueses que pretendam deslocar-se ao Quénia nos próximos dias a não o fazer como medida de precaução devido à situação de instabilidade que se vive no país.

Os turistas portugueses que neste momento se encontram no Quénia devem contactar, em caso de necessidade, o gabinete de emergência do Ministério dos Negócios Estrangeiros através do telefone 707 202 000.


Segundo o blog
Claro, afinal, o PM não foi de férias. O Sol, no entanto, diz que se encontra em mini-férias.

Whatever. A propósito, terá o Sr. Sousa declarado às Finanças o presente no valor de 4000 € que recebeu dos membros do seu desgoverno?

Palhaços somos nós?

Notícia do Público:

Vitalino Canas elogia escolha de Faria de Oliveira
CGD: PS diz que PSD falhou na tentativa de interferir na nomeação do novo presidente

29.12.2007 - 19h23 Lusa, PUBLICO.PT
O PS elogiou hoje a escolha de Faria de Oliveira para a presidência da Caixa Geral de Depósito (CGD), sublinhando que a pressão exercida pelo PSD para que fosse nomeado um dirigente da sua área política não foi tida em conta pelo ministro das Finanças.

Segundo o mesmo
Público, Faria de Oliveira é militante do PSD desde 1974, ocupou diversos cargos na cúpula do partido, e foi ministro do Comércio e do Turismo dos XI e XII governos, chefiados por Cavaco Silva.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Ler Epicuro

Acabei finalmente de ler Epicure: Lettres, Maximes, Sentences, tradução francesa e introdução de Jean-François Ballaudé. É compacto e difícil de ler, se calhar porque Ballaudé escolhe as palavras mais obscuras em vez das mais correntes... ao contrário do que propunha César, que foi fortemente influenciado pelo epicurismo.

Esta é actualmente a minha filosofia/ doutrina preferida. Qual budismo, qual cristianismo "pobre" - Epicuro tem como o objectivo declarado conduzir-nos à felicidade através do conhecimento.

A felicidade, diz ele, é conseguida quando nos libertamos das dores do corpo e dos terrores da mente. Isso só é possível se virmos claramente a natureza, através da evidência dos sentidos e do raciocínio correcto, afastando-nos dos mitos e das opiniões vazias.

A fórmula para a felicidade, que se confunde com a serenidade, é dada pelo tetrapharmakos: não há que ter medo dos deuses; não há que ter preocupação com a morte; o bem é fácil de atingir; o mal é fácil de suportar.

Só discordo dele na parte de o mal ser fácil de suportar: Epicuro diz que as dores crónicas não são muito intensas e as dores intensas são de curta duração. É possível, mas teria de confirmar isso com quem já foi torturado.

quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

Desbaptizar

Em Itália, onde as estatísticas reclamam que 97% da população é católica, há legislação que permite ao indivíduo abandonar oficialmente a Igreja e renunciar aos ritos praticados anteriormente.

Esta apostasia activa é interessante, segundo os seus promotores, a
Unione degli Atei e degli Agnostici razionalisti (UAAR), porque o apóstata se desliga efectiva e afectivamente do grupo e renega o poder deste sobre ele (incluindo o de o ofender e, suponho, o de o excomungar). Segundo a UAAR, na Alemanha e na Áustria os católicos pagam um dízimo para a Igreja: se assim for (não confirmei), aí também faz sentido desbaptizar-se para deixar de pagar esta espécie de taxa na qual o indivíduo não se revê.

De resto, e já que segundo o direito canónico reclamar-se ateu ou agnóstico será o mesmo que abandonar a Igreja Católica ainda que ela disso não tenha conhecimento, as contas serão fechadas, calculo, no Juízo Final. Até lá, no entanto, faz-se parte do censo, donde o interesse em apostasiar também é o de clarificar as estatísticas.

Em Portugal desconheço iniciativas do género.

As meninas 3%

Notícia do Expresso:

3:52 Quinta-feira, 27 de Dez de 2007
Nova Iorque, 27 Dez (Lusa) - O patriarca dos Hiltons, Barron, anunciou na quarta-feira que doará 97 por cento da sua fortuna de 1,6 mil milhões de euros à caridade e não às suas netas, Paris e Nicky.
O anúncio foi feito pelo próprio Barron Hilton, ex-administrador-delegado da cadeia hoteleira Hilton, em e-mail à revista Fortune.
O avô de Paris e Nicky Hilton tenciona deixar o dinheiro à fundação Conrad N. Hilton, que tem o nome do seu pai e que realiza mais de 50 por cento das suas obras de caridade fora dos Estados Unidos.


Paris e Nicky vão assim herdar 3% da fortuna do avô, ou seja 48 milhões de dólares, o que dá a cada uma aproximadamente 16,5 milhões de euros.
Dá para ser excêntrica todos os dias.

A tentação do Ipiranga

Notícia do Euronews:

Sérvia
27/12 09:53 CET

Belgrado ameaça renunciar à UE se for reconhecida a independência do Kosovo

O parlamento sérvio aprovou por esmagadora maioria uma resolução que poderá conduzir Belgrado a renunciar à integração europeia se os ocidentais reconhecerem a independência do Kosovo (...)
O processo acelerou depois dos albaneses do Kosovo, apoiados por Washington e pelos principais países europeus, indicaram que proclamarão no início do próximo ano a independência (...)


Gostava que alguém me explicasse como planeia o Kosovo gozar a sua independência. Gostava de perceber de que vivem estes novos estados, quando parece tão difícil manter a independência mesmo de estados velhos, nesta era de economia global, de mercados emergentes e fuga de investimento para Oriente

Diga-me alguém, se souber, que espécie de independência será a do futuro estado palestiniano, no qual os países cristãos acabam de injectar sete mil milhões de euros (ou talvez dólares), do Kosovo, da Tchechnia, do País Basco, ou da Madeira.

O turismo parece ser hoje considerado a panaceia universal. Esquecem-se de que os turistas têm falta de dinheiro e gastam o mínimo possível, e que mesmo descendo em hordas numa região qualquer só comem sanduíches e pizzas e compram "artesanato" feito na China se não custar mais de três euros.

segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

Bacoquices de Natal

Notícia do Correio da Manhã:

2007-12-24 - 13:00:00
Prendas: Membros do Governo fizeram colecta
Ministros pagam viagem a Sócrates
A prenda de Natal que os membros do Governo decidiram dar este ano ao primeiro-ministro foi um cheque-viagem no valor de quatro mil euros, apurou o Correio da Manhã.

A colecta foi organizada pelo gabinete do ministro da Presidência, Pedro Silva Pereira, que teve o cuidado de enviar mensagens para todos os ministérios e secretarias de Estado, relembrando a necessidade de cada um dar a sua contribuição para a prenda natalícia de José Sócrates.
(...)
Por sua vez, José Sócrates ofereceu aos membros do Governo um GPS Ndrive, concebido com tecnologia portuguesa. Um gadget que o primeiro-ministro tem orgulhosamente oferecido a praticamente todos os líderes europeus.
Os trabalhadores da residência oficial foram todos contemplados com um iPod.
Sócrates deverá fazer uso da sua prenda de Natal já no dia 26, altura em que parte para uma semana de férias.


Três perguntas:
#1: Os sinistros ofereceram uma viagem de ida e volta ou só de ida?
#2: Será que com o GPS eles se orientam melhor?
#3: O Sr. Sousa continua a dar música aos trabalhadores?

Long live the Queen

Notícia do Público:

O ano passado já tinha sido emitida em podcast
Rainha de Inglaterra transmite mensagem de Natal no You Tube
23.12.2007 - 17h37 PUBLICO.PT

A rainha Isabel II, de Inglaterra, prepara este ano uma maneira inovadora de transmitir o seu discurso de Natal. Para além dos métodos de transmissão comvencionais da mensagem de Natal, as felicitações da época poderão também ser vistas no You Tube.
Para já estão disponíveis no canal real no You Tube o discurso de 1957, o primeiro feito à nação, via televisão; mas também as imagens do casamento da rainha-mãe, um documentário inédito sobre a morte de Jorge VI, pai da Rainha, e a coroação de Isabel II.
(...)
“A rainha mantém-se sempre actualizada com as novas formas de comunicar”, diz o comunicado, lembrando que a mensagem de Natal do ano passada foi emitida em podcast.


A Rainha tem 81 anos e nos próximos 20 há-de com certeza adaptar-se ainda a muitas mudanças. Engraçado é vê-la no discurso de 1957, disponível no
YouTube, a chamar a atenção para o perigo de as pessoas se perderem nas novas tecnologias e esquecerem os valores éticos...

Gosto de pessoas assim, que mantêm a curiosidade e a flexibilidade mental para além do que a idade deixaria esperar. Ser rainha, para Isabel II, não é um emprego, é o que a define, por isso não abdica. Também não abdica da vida: os deuses a protejam.

sábado, 22 de dezembro de 2007

1789?

Notícia do Sol:

Hoje
Aumento

Preço da cerveja dispara em 2008

Por António José Gouveia
As principais cervejeiras portuguesas têm vindo a subir paulatinamente o preço da cerveja pressionados pelo valor pago pelas matérias-primas, principalmente a cevada. E para o próximo ano poderão ser obrigadas a um aumento médio de 9%, conforme o grupo multinacional Heineken decidiu recentemente

Parafraseando a rainha Maria Antonieta:
"Não têm cerveja? Bebam vinho!"

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Kite-surfing tamanho XL

Notícia do Euronews:

Energia 19/12 15:40 CET
Revolução no mundo da marinha
Com 132 metros de comprimento o cargueiro "Beluga SkySails" tem a particularidade de ser propulsionado pelo vento graças a uma espécie de pára-quedas que actua como uma vela.


Nota: não dispensa o motor, mas segundo a
empresa, diminuirá em 20% os gastos de combustível.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Granizo no Algarve


(Hoje, à hora do almoço, no meu jardim)

Boas Festas

Apetece-me começar uma corrente na blogosfera. A ideia não é original, foi-me passada por um membro do site Ancient Worlds, onde vai funcionar como um jogo.

As regras são simples: diga uma coisa que gostasse muito de receber como presente de Natal, e três que não quisesse receber de maneira nenhuma. Podem ser coisas reais ou imaginárias: a creatividade é que conta. Depois passe o desafio aos habituais cinco blogs.

As minhas escolhas:
o presente que gostaria de receber: uma máquina do tempo
os presentes que não gostaria de receber: um avental, equipamento S&M, uma mota.

Passo o desafio aos blogs
Moura Aveirense, Valkirio, Senhora Sócrates, Eça é que é Hesse e Bandeira ao Vento.

sábado, 15 de dezembro de 2007

Rigoletto

É difícil, hoje em dia, ir ao S. Carlos de coração aberto, sobretudo se previamente se lerem as críticas arrasadoras de HS no Crítico.
Obviamente não vou de partitura atrás, nem seria capaz de a ler, e embora conheça o Rigoletto quase de cor, é apenas porque já o ouvi tantas vezes e gosto tanto.

Lá fui, ontem, um bocado a medo, o que se calhar foi bom por ter expectativas tão baixas que só podiam ser superadas.

A verdade é que não foi uma récita memorável, nenhum dos cantores me impressionou muito (gostei mais do tenor, Saimir Pirgu), mas a não ser em algumas cenas específicas (e cruciais, de facto) não tive a noite estragada.

Alexandru Agache, no Rigoletto, esteve razoavelmente bem excepto quando lhe foi pedida uma intensidade dramática que não teve. No final da cena do rapto, quando tirou a venda e percebeu que fora enganado, a reacção foi de tal modo mansa que só faltou dizer, bem, agora vou ali tomar um café. O mesmo no final, depois da morte de Gilda.

Entre a Gilda (Chelsey Schill) e o Duque faltou química no dueto; podem ter-se beijado e apalpado mas não convenceram. Pena; são os dois jovens e a coisa podia ter resultado. As cenas de cama do último acto entre o Duque e Maddalena também foram forçadas: não sei quem achou que havia naquilo algum erotismo.
Deve ter sido quem pôs uma cama em destaque na primeira cena do segundo acto, ainda estou para saber porquê, visto que não se passa lá nada de especial; se o tenor queria sentar-se bastava uma cadeira.

Mauzinho foi também o quarteto do último acto, que normalmente me deixa maravilhada: desta vez não passou de quatro pessoas a cantar cada uma para seu lado. A Maddalena de Malgorzata Walewska aliás mal se ouvia.

Bem, já pareço quase o HS! Posso ainda contar que o público estava cheio de celebridades, vestidas e penteadas a rigor, da maioria das quais não sei o nome pelo que se poupa aqui um relato tipo revista de cabeleireiro. Aplaudiram as árias e os duetos do costume. Na fila à minha frente, contudo, havia um desgraçado que se contorcia de desespero (o desespero que faltou ao Rigoletto), sumindo-se às vezes nas profundezas para depois se elevar numa exaltação indignada. Saiu a correr antes dos aplausos finais.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Stage6

Eis um site onde se encontram clips de boa qualidade e sem interrupções obrigatórias aos x minutos.
Não há muita gente a postar clips de música que me interesse, mas o opus3863aa tem uma colecção fantástica.

Nos caminhos da floresta

foto da Casa Branca Estava eu pronta para bater no vídeo inacreditável que ontem vi no telejornal sobre os cães do Sr. Bush, aos quais os donos atribuem o desejo de se tornarem vigilantes florestais, mas alguma pesquisa fez-me perceber que afinal o vídeo foi cruelmente editado; o original,
foto © Eric Draper

que se pode ver no site da Casa Branca, é muito mais engraçado, e serve para apresentar o tema dos parques nacionais aos americanos.

Os cães, dois Scottish Terriers que na versão apresentada na televisão portuguesa parecem tontos e desinteressados, têm no filme original um papel muito mais activo e simpático.

Triste mesmo é o Sr. Blair aparecer, velho e cansado, a dar os parabéns a Barney e Miss Beazley pelo seu novo emprego. Que Blair era o cão fiel de Bush já se dizia. Agora confirma-se. Talvez ele também queira emprego como guarda florestal.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

O toque de Mehta

O cinema indiano é desconhecido em Portugal, e provavelmente na Europa, apesar de a Índia ser o maior produtor do mundo, lançando aproximadamente duas vezes mais filmes por ano que os USA.
O ano passado o lançamento do último 007,
Casino Royale, foi secundarizado no subcontinente pelo êxito nacional Dhoom 2. Curiosamente a fnac tem uma secção de cinema asiático na qual não se encontra nada made in Bollywood.

O único filme indiano nos escaparates é Água (
Water), realizado por Deepa Mehta, natural de Amritsar no Punjab mas que vive no Canadá.

Acabei agora de ver o DVD, que achei lindíssimo. Trata da situação das viúvas hindus, consideradas pela tradição quase ao nível dos intocáveis. Embora o filme se passe nos anos 40, quando Gandhi pregava a libertação da Índia não só do ocupante britânico mas também das suas próprias fraquezas, segundo a realizadora o estatuto de muitas viúvas não terá mudado por aí além.

Água teve aliás de ser filmado discretamente no Sri Lanka.

Há uma história de amor, uma criança à volta de quem se definem personagens de carne e osso, e um final inesperado. O toque de Mehta é delicado e compassivo, a fotografia e a música perfeitos. Vale a pena.

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

O tal - ora

Mais uma para o livro dos recordes da estupidez (e pqp).

Notícia do
Sol:

05 DEZ 07
Argentina

Escritor defende imposto sobre beleza

Gonzalo Otálora, escritor argentino de 31 anos, já tem simpatizantes em frente à sede da presidência argentina, exigindo a criação de um imposto a pagar pelas pessoas a que a sociedade chama ‘bonitas’
O artista, que se inclui nos esteticamente menos favorecidos, pretende suscitar o debate quanto à valorização da beleza na Argentina em sectores como a política, a economia e a educação.
Gonzalo Otálora diz mesmo que a medida minimizará o «sofrimento» dos seus pares, e que se sente também ele discriminado e com direitos limitados por não ser bonito.


Se não fosse a beleza, valeria a pena estarmos vivos?

Reciclar, reciclar

Notícia do Euronews:

Alemanha10/12 18:36 CET
Cientistas estudam reutilização dos desperdícios nucleares

A investigação do Instituto da Comissão Europeia para os Elementos Transurânicos, em Karlsruhe, na Alemanha, quer descobrir como reutilizar de forma eficiente as grandes quantidades de plutónio e urânio que sobram após a fissão nuclear e como reduzir a toxicidade de longo prazo dos desperdícios restantes.


Ora aí está uma boa ideia. Se conseguirem reutilizar e reciclar o lixo nuclear, essa sim será uma grande ajuda para resolver o problema energético, já que parece, apesar desta notícia do Observatório do Algarve, que não vamos lá com biocombustíveis.
Mas sejam rápidos, por favor.

Cenacolo musicale

Notícia do Euronews:

Música 14/11 18:36 CET
Italiano revela música na 'Última Ceia' de Da Vinci

Um músico e técnico informático italiano diz ter descoberto mais um segredo da 'Última Ceia' de Leonardo Da Vinci: música.


Um tal Giovanni Maria Pala sobrepôs à Última Ceia as cinco linhas de uma pauta e acha que os pães e as mãos de Jesus e dos apóstolos estão colocadas como se fossem notas - a ler da direita para a esquerda como quaisquer escritos de Leonardo. Apresenta assim 40 segundos do que só o século XX chamaria música. Mas certamente se da Vinci desenhou helicópteros também podia prenunciar Philip Glass!

Extraordinários, estes artistas ;-)

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Bis repetita

Andréas Scholl deu-nos o encore que lhe pedimos, repetindo a ária Ho tanti affani in petto e cantando-a ainda melhor do que na primeira vez. Foi no entanto uma indicação clara para que não lhe pedíssemos mais. Teria ele percebido (já cá esteve antes) que os portugueses, para além do produto pelo qual pagam, gostam sempre de um desconto, uma atenção, um brinde no bolo-rei? Sinais do nosso sangue mouro.
Ele, Scholl, é alemão, e vive na Suiça. Alles klar?

As peças apresentadas no concerto de sábado não me encantaram e, apesar da voz magnífica, não imitaria a
Moura Aveirense que o foi ouvir novamente esta noite à Casa da Música. Dei no entanto por mim a perguntar se um dia ele deixará este registo em que é excelente e começará a cantar como barítono.

Para outros curiosos como eu, deixo este
link.

PS: Um ponto alto do concerto foi o intervalo... Conheci a
Moura Aveirense e o Paulo e estivemos a conversar um bocadinho. Gostei muito; espero encontrá-los mais vezes: é isto que torna real a Internet.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

5 Filmes 5 Blogs

Pediu-me a Isabela, já há tempos, e eu prometi responder.
Atrasei-me, mas promessas são promessas, não é? Por isso lá vão as escolhas:

Cleópatra de Joseph Mankiewicz, porque de todas as versões desta história é a única que vejo com prazer, ao invés de ranger os dentes;

Morte em Veneza de Lucchino Visconti, porque de todos os filmes feitos a partir de obras literárias, é o único que acho tão bom como o conto original;

Gandhi de Richard Attenborough, pela interpretação magnífica de Ben Kingsley e pela divulgação da vida e obra de um homem admirável;

O Piano de Jane Campion, pela maneira de contar esta história de excesso de sentimentos;

A Paixão de Shakespeare de John Madden, pelo ritmo de filme de acção, pelo humor, e pelo uso respeitador da belíssima poesia de Romeu e Julieta.

Passo a palavra:
à Xantipa, d'
A Senhora Sócrates;
ao Paulo, do
Valkirio;
à Moura, d'
A Moura Aveirense;
ao JB, d'
A Bandeira ao Vento;
ao José Teófilo Duarte, do
BlogOperatório.

Sento-me à espera, estilo gato a lamber os bigodes.

Não sei se pr'os ouvidos se pr'os olhos

Descoberto através do blog Opera Scherzo:

Zachary Stains em
Ercole sul Termodonte de Vivaldi no festival de Spoleto.

Ala para o desemprego!

A ideia não é minha mas foi-me sugerida hoje e pareceu-me interessante.

Como vamos sabendo pelos media e pelas bisbilhotices do costume, a ASAE, em vez de ter uma acção pedagógica e informar as empresas (normalmente, pequenas ou familiares) do que não está conforme as regras, dando um prazo para a sua correcção, pura e simplesmente fecha as casas.

Já me contaram da pastelaria que foi fechada porque não tinha licença para servir sopas à hora do almoço, do ginásio de um hotel que foi fechado porque não tinha vigilante, da bomba de gasolina cujas palas estavam meio metro abaixo do que deviam...

Já vimos desaparecer os galheteiros das mesas dos restaurantes (e aparecerem as garrafinhas de Esporão e de Oliveira da Serra). Dizem-nos que os copos de vidro vão desaparecer das esplanadas, e que as flores nas jarras têm de ser artificiais.

Se há medidas de higiene que é fundamental cumprirem-se, há muitas leis e regras que não fazem sentido. A ASAE, dizem-nos, limita-se a constatar que não são cumpridas todas as leis e regras e a fechar as portas, lançando as pessoas no desespero.

Aqui entra a ideia do meu amigo: todas as pessoas que trabalham nessas empresas devem imediatamente inscrever-se nos centros de desemprego, explicar a razão (empresa fechada pela ASAE) e pedir o respectivo subsídio. Mesmo que seja só por um mês, ou quinze dias. Isto vai aumentar as estatísticas de desemprego e só isso pode atemorizar este desgoverno e fazê-lo parar.

Ou não. Mas talvez valha a pena tentar.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Treinadora de sofá

Ontem, num jogo complicado, o Paulo Bento deu uma de Scolari: resolveu oferecer um presente ao minino Polga, que ainda não tinha marcado nenhum golo em todo o campeonato. O minino falhou o penalty, a confusão aumentou, e o Leiria empatou.
Resultado: Polga 0, Sporting 0, lampiões a rir.

domingo, 2 de dezembro de 2007

Às armas, às armas

Segundo o blog A Voz da Abita (na Reforma), que cita o DN Online, a actual Lei das Armas pode dar prisão aos militares que usem as suas espadas e espadins sem ser no exercício de funções, as transportem na via pública ou tenham em casa.

O que se vai seguir? Os cordões? Os alfinetes das condecorações? Os atacadores?
E as facas de cozinha? Esqueceram-se das facas de cozinha?

Portugal, a SIDA, o sinistro, a imprensa e o pai deles

Ontem, no Sol:

Sida
Dia Mundial de luta contra a doença assinala-se hoje

Mais de 32.000 casos de HIV/sida estavam notificados em Portugal até finais de Setembro(..)
Segundo o mais recente relatório anual do Programa das Nações Unidas sobre a doença, o número de casos notificados torna Portugal o quarto dos países da Europa Ocidental que mais casos novos de infecções por VIH diagnosticou em 2006.
Entre as 32.205 pessoas com HIV registadas em Portugal, 43,8 por cento já apresentavam sida, o que representa um total acumulado de 14.110 até ao final de Setembro.


Igualmente no
Sol:

Saúde
Correia de Campos diz que SIDA em Portugal está a decrescer

(..)
«Os números neste momento, de 2006, representam, no caso da infecção, os números mais baixos desde 2001 e, no caso da SIDA, os números mais baixos desde 1996, o que significa que se está a reduzir a incidência e a prevalência da doença» , disse Correia de Campos no final de uma reunião do Conselho Nacional para a Infecção HIV/SIDA.


Ora então está bem. Lembro apenas outra
declaração recente do mesmo sinistro, segundo a qual «é possível os números não baterem uns com os outros», alegando que «há formas diferentes de fazer as contas»

E para terminar, ainda no
Sol:

29 NOV 07
On-line
Passaporte «safe sex» para sites de encontros
Uma associação norte-americana desenvolveu um passaporte «Safe Sex» com o objectivo de garantia que o internauta não tem uma doença sexualmente transmissível.
(...)
Para tal, basta fazer o teste da sida, de herpes, e outras doenças sexualmente transmissíveis e os resultados são divulgados pelo laboratório à SSP, que depois emite um cartão e um número.
«Se se encontrar com alguém na Internet e se lhe der o seu número de Passaporte Safe Sex, essa pessoa pode telefonar e os resultados dos seus exames são fornecidos», explicou [Gonzalo Paternoster, criador da Safe Sex Passport BioAnalytics (SSP)].


Ah, se as pessoas tivessem a coragem de fazer essas análises, já seria um começo...

Ver Tiepolo

Notícia do Público:

Afirma a ministra a Cultura
Museu Nacional de Arte Antiga deverá receber quadro de Tiepolo

30.11.2007 - 18h09 Lusa
O quadro "A deposição de Cristo no túmulo" de Giovanni Tiepolo, adquirido ontem à noite pelo Estado em leilão, deverá ficar exposto no Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa, disse hoje a ministra da Cultura.

Uma boa razão para (re)visitar o Museu Nacional de Arte Antiga, onde ainda por cima, segundo ouvi dizer, se pode almoçar decentemente.
Assim haja funcionários para manter as salas abertas aos visitantes...

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Contra todas as expectativas

Notícia do Euronews:

UE-África 27/11 21:50 CET
Mugabe garante que vai à Cimeira UE-África
Contra todas as expectativas, Robert Mugabe confirmou a sua presença em Lisboa, na Cimeira União Europeia-África. O presidente do Zimbabué afirmou que conta comparecer pessoalmente, já que o seu governo recebeu um convite da presidência portuguesa.

Há cinco anos que o Zimbabué é alvo de sanções por parte da União Europeia e alguns Estados membros são hostis ao convite feito por Portugal. Entre eles, o Reino Unido.


Pergunto eu: "contra todas as expectativas" de quem?

domingo, 25 de novembro de 2007

Anjos entre nós

Para os admiradores de Andréas Scholl:

#1. uma pequena previsão do recital de 8 de Dezembro na
Gulbenkian:

Vedendo amor/In un folto bosco ombroso
Dolc'è pur d'amor l'affano

#2. e agora uma
coisa completamente diferente

As palmeiras do Algarve

A minha palmeira está doente, assim como muitas outras em todo o Algarve, e vão morrer se não forem tratadas.

Muitas das nossas palmeiras são tamareiras das Canárias (Phoenix Canariensis) que são vulneráveis, e estão a ser atacadas por um escaravelho.
Este propaga-se velozmente; as larvas alimentam-se da palmeira e fazem casulos donde saem insectos adultos, tão repugnantes como as enormes baratas (Periplaneta Americana) que hoje povoam os esgotos do Algarve (e de Benfica, segundo parece, e provavelmente de todo o país, que agora se deve julgar instalado em latitudes subequatoriais).
Os escaravelhos voam e têm um raio de acção de três quilómetros.

É complicado ter um jardim.

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Uma coisa me consola

Notícia do Sol:

6a-feira, 23 Novembro
Saúde

Correia de Campos admite falhas nas contas identificadas pelo Tribunal de Contas
O ministro da Saúde reconheceu hoje falhas na consolidação das contas do SNS e admitiu critérios contabilísticos diferentes no apuramento dos resultados dos hospitais-empresa
(...)
Numa reacção a este relatório, Correia de Campos reconheceu que «é possível os números não baterem uns com os outros», alegando que «há formas diferentes de fazer as contas».


O sinistro da saúde, quando confere o seu extracto bancário, deve ver-se tão à nora como eu.

Take-away em Bombaim

Eu adoro a Índia. Um dia talvez tente ir viver para lá pelo menos uns meses, porque ser turista é como surfar as ondas e apenas intuir as correntes.
Cheguei a este
site através dum blog que agora já não consigo encontrar. O site pertence aos dabbawalas de Mumbai, os 5000 homens que todos os dias vão levar o almoço a quem trabalha e prefere comida caseira à junk-food - porque gosta mais, porque fica mais barato, porque é mais saudável.

Foto © My Dabbawala


Os dabbawalas vão a casa do cliente buscar o almoço e ao seu local de trabalho levá-lo em lancheiras de metal (dabba). Segundo dizem, são fiáveis e pontuais, e só ocorreu um erro até hoje, em dezasseis milhões de entregas ao longo de quase 120 anos. Mumbai é uma cidade enorme, e os dabbawalas servem actualmente duzentos mil almoços diários entre o meio-dia e a uma da tarde. Dizem que só conseguem trabalhar porque a rede ferroviária é excelente; já tentaram outras cidades, como Delhi, mas não resultou.

A Índia tem que dar trabalho a mil e cem milhões de pessoas; por isso as coisas são realmente feitas à mão, e industrializá-la (como já avisava Gandhi) é muito complicado.

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Projecto Kalima

Notícia do The Independent:

Two cultures, one language: Arabic translation of great works aims to bridge divide
By Boyd Tonkin in Abu Dhabi
Published: 22 November 2007

(...)
The Kalima (meaning "word" in Arabic) project aims to revive the art of translation across the Arab world and reverse the long decline in Arabic readers' access to major works of global literature, philosophy, science and history.
"The choices reflect what we consider are the real gaps in the Arab library," said Karim Nagy, the founder and chief executive of the project, which was launched yesterday in Abu Dhabi.
(...)
One of the triggers which led to its creation was a widely-circulated statistic from the 2003 UN report into human development in the Arab world. It estimated that more books (about 10,000) were translated into Spanish every year than had been translated into Arabic over the past millennium.

Desejo o maior sucesso a esta iniciativa. Só pode ser bom que o mundo árabe volte a familiarizar-se com o pensamento ocidental, e é pela lista de títulos com que a notícia termina que podemos ver como tem estado distante.

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

O Petróleo (um puzzle)

Quanto custava, em dólares, o barril de crude há 1 ano?
WTI: cerca de U$55; Brent: cerca de U$60.

Quanto custa o barril hoje?
WTI: U$97.72; Brent: U$94.62

Quanto era o câmbio euro-dólar há 1 ano?
1 € = U$1.2886

Quanto é hoje?
1 € = U$1.4814

De quanto foi o aumento em euros?
WTI: aprox. 23€ (40%); Brent: aprox. 17€ (28%)

Quantos litros tem um barril de petróleo crude?
158.98

Quantos litros de gasolina se podem daí obter?
Entre 90 e 120

E que outros produtos?
Gás propano e butano, diesel, kerosene e jet fuel, gasóleo, fuel-óleo.

Como se faz?
Refina-se, ou seja, distila-se, parte-se (crack), purifica-se e combina-se.
A destilação separa o crude em produtos leves (propano, butano), intermédios (gasolina, diesel) e pesados (gasóleo), deixando um resíduo semi-sólido (pez).
O cracking parte as moléculas dos produtos pesados e do resíduo e transforma-os em produtos de densidade média, mais valiosos.
A purificação remove impurezas como o enxofre ou o nitrogénio.
A combinação mistura a gasolina com metais preciosos como a platina ou o rhenium para aumentar o seu valor em octanas.
Para estes processos são usados produtos químicos (catalistas) a altas temperaturas e pressões.

O que quer dizer WTI e Brent?
O WTI é o crude americano (West Texas Intermediate) que é o padrão para quase todo o mundo; o Brent é uma mistura de crudes de várias jazidas no mar do Norte e usa-se como padrão na Europa. O barril da OPEC é mais barato mas não é citado.

Quem são os membros da OPEC?
Arábia Saudita, Kuwait, Irão, Iraque, Venezuela (os 5 fundadores de 1960), Angola, Argélia, Ecuador, Emiratos Árabes Unidos, Indonésia, Líbia, Nigéria e Qatar. Produzem cerca de metade do petróleo mundial. De fora estão, entre outros, a Rússia, a Noruega e o México. Países como os USA e a China importam mais do que produzem.

Razões para me sentir confusa: não se encontram todos os dados que se procuram; muitas vezes não se está a falar das mesmas coisas; a desvalorização do dólar é causa do aumento aparente mas também do aumento real do preço do petróleo, já que os investidores vendem dólares e compram títulos relacionados com o petróleo; a importância da OPEC parece ser apenas como sistema-tampão; muitas destas coisas passam-se no mercado de futuros, mas nem sempre; e eu não sou muito fiável nestas contas, mesmo com calculadora

Concluindo:
Qual o preço de um litro de gasolina no barril?
WTI: 0.55€; Brent: 0.53€

O preço ao consumidor, como sabemos, é de cerca de 1.37€ para a gasolina de 95 octanas e de 1.52€ para a de 98 octanas. Inclui 0.58€ de imposto sobre os produtos petrolíferos (ISP) e 21% de IVA sobre o total.

Onde estão os custos de processamento do crude e os lucros da petrolífera?

Mais fontes:
WTRG Economics;
Energy Information Agency;
About.com

Ser ou não ser culpado

Ou o gato de Schrödinger mais uma vez...

Segundo conta hoje o
Sol, o antigo aluno da Casa Pia que acusou Paulo Pedroso no processo por pedofilia foi esta terça-feira absolvido do processo de difamação interposto pelo ex-dirigente do PS. O tribunal absolveu Ricardo O. por considerar haver mais razões para acreditar «na não falsidade» das suas denúncias do que na «falsidade das mesmas».
Por outro lado,
a mesma notícia recorda que Ricardo O. tinha acusado Paulo Pedroso no processo principal de pedofilia da Casa Pia, por abusos sobre alunos da instituição, mas o Ministério Público decidiu que não havia elementos suficientes para acusar Pedroso e o processo contra ele foi arquivado.

Ou seja, parece concluir-se que Paulo Pedroso é mais culpado do que inocente, mas não chega a ser culpado. Uma distinção a vários níveis interessante.

terça-feira, 20 de novembro de 2007

O pão nosso de cada dia

Os "peixinhos", como lhes chama o Paulo, atiram-se desenfreadamente às fatias de pão que lhes damos.
Ainda bem que não confundem pão e carne humana...

(Monkey Bay, Phi Phi Don Island, Mar de Andaman, Novembro 2007)

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

E un passo sfiorava l'arena - Parte III

O que ninguém nos diz sobre as praias da Tailândia é que são habitadas por caranguejos. Muitos.
Fogem à nossa frente mas são quase transparentes; apanha-se cada susto ao ver de repente uma sombra começar a correr!

E un passo sfiorava l'arena (ou dois ou três)


(Maya Bay, Phi Phi Lo Island, Mar de Andaman, Novembro 2007)

E un passo sfiorava l'arena - Parte I


(Hong Island, Mar de Andaman, Novembro 2007)


(Bileh Island, Mar de Andaman, Novembro 2007)


(Bamboo Island, Mar de Andaman, Novembro 2007)

O gato de Schrödinger

Les dialecticiens établissent que toute énonciation disjonctive, telle que "oui ou non", est non seulement vraie mais encore nécessaire (vois comment il est habile, cet Épicure, que vous considérez comme un esprit lent: si en effet, dit-il, j'admets que l'un ou l'autre est nécessaire, il sera nécessaire que demain, Hermarque vive ou ne vive pas; or il n'y a pas de pareille nécessité dans la nature)

Cícero, citado em Jean-François Balaudé, Épicure Lettres, Maximes, Sentences, Paris, 1994

domingo, 18 de novembro de 2007

O colesterol, esse bandido

Notícia do Público:

Instituto de Medicina Molecular de Lisboa
Descoberta porta de entrada do parasita da malária no fígado
16.11.2007 - 12h27 Teresa Firmino
A equipa de Maria Mota, do Instituto de Medicina Molecular de Lisboa, descobriu qual é a porta de entrada do parasita da malária nas células do fígado, a primeira fase da infecção.
(...)
O que a equipa de Maria Mota descobriu foi a molécula existente na membrana dos hepatócitos que o parasita utiliza para entrar nessas células. Mais: essa molécula é a mesma porta de entrada do colesterol no fígado. E a equipa também descobriu que ela fornece nutrientes ao parasita, alimentando-o com colesterol.

Conselho amigo: bora já comprar acções das farmacêuticas produtoras de simvastatina.

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Os tuk-tuks


(Bangkok, Outubro 2007)

Os tuk-tuks são uma instituição asiática, herdeira dos rickshaws. São mais divertidos do que os táxis normais (mas em Bangkok há táxis cor-de-rosa, certamente do Benfica) mas fica-se sujeito ao fumo dos escapes de toda a gente. E não há cintos de segurança nos tuk-tuks.


(Mae Sai, Outubro 2007)

Não me falem do trânsito de Bangkok. Não há nada que se compare ao trânsito de Delhi.

Mercados


(Mercado nocturno, Patpong, Bangkok, Outubro 2007)

Para o turista, os mercados nocturnos são exóticos e divertidos. Mas mais exóticos são os mercados a sério, para os nativos, onde se compram pratos cozinhados, legumes, especiarias e ... vermes. Insectos também, mas preferi não os ver.



(Mercado local, Mae Chan, Outubro 2007)

O Triângulo do Ópio

O Triângulo Dourado é a região fronteiriça entre a Birmânia (ou Myanmar) a oeste, o Laos a leste e a Tailândia a sul, na confluência dos rios Ruak e Mekong. Por aqui havia as grandes plantações e se fazia (faz ainda?) o tráfico de ópio. Há um pequeno e instrutivo museu que vale a pena visitar.
Em Myanmar há também um casino onde os Tai vão jogar.

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Estou mesmo triste

Morreu um cãozinho amigo. Foi atropelado há quase duas semanas, mas só hoje o soube. Era muito alegre e valente, e ainda não tinha seis meses. Chamava-se Rossi e espero que os meus cães o tenham acolhido na ponte do arco-íris.

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Descendo o rio Mekong







São 3 horas de lancha; no fim encontra-se o hotel, enorme numa ilha a meio do rio. Protesta-se: quem pôs este monstro aqui? Ao chegar à janela do quarto engole-se o protesto...


(Rio Mekong, Thaton a Chiang Rai, Outubro 2007)

Conta-me mais uma história

Outra notícia do Público:

Entre seis meses e seis anos
Médicos vão promover hábitos de leitura nas famílias com crianças
11.11.2007 - 14h56 Lusa
Médicos e enfermeiros dos Centros de Saúde e dos Hospitais Pediátricos vão actuar como promotores de leitura junto de famílias com crianças entre os seis meses e os seis anos, segundo um protocolo com a comissão do Plano Nacional de Leitura, hoje divulgado.

Pois claro. E as escolas ocupam-se do Plano Nacional de Vacinação. Os matadouros classificam o património, e nos teatros vendem-se bolos-rei.

O cheiro e o medo

Notícia do Público:

Investigadores japoneses mexem nas células olfactivas dos roedores
E se o rato perdesse o medo do gato?
09.11.2007 - 17h03 PUBLICO.PT
(...)
Segundo os cientistas, ao mexerem num determinado gene dos roedores, conseguiram remover de forma selectiva determinadas células do seu sistema olfactivo(...)
Desta forma, os ratos vão perder a capacidade de associar o cheiro do gato ao medo inato de um predador. “O sistema olfactivo dos mamíferos mede várias respostas, incluindo a aversão a alimentos estragados e o reconhecimento de predadores através do cheiro”, explicou Hitoshi Sakano, coordenador do estudo.
(...)
“A pesquisa é muito importante uma vez que pode, no futuro, permitir anular a aversão natural que os mamíferos, incluindo o homem, têm a certos odores”.

E pergunto eu: a aversão natural faz parte das nossas técnicas básicas de preservação. O que é que se ganha em anulá-la?
Não tenho nada, em princípio, contra a engenharia genética se for para melhorar a nossa vida, mas há alterações que parecem pura estupidez.

domingo, 11 de novembro de 2007

Viva o rei

Já era tempo que alguém mandasse calar Hugo Chávez. O respeito pelos outros tem como limite o respeito deles por nós, e não apenas o inverso.

sábado, 10 de novembro de 2007

Escola de Elefantes

Lembrei-me (ressalvadas as diferenças) do Centro Equestre da Lezíria Grande que visitei há anos.


(Escola de Elefantes Chiang Dao, Chiang Mai, Outubro 2007)

Orquídeas







Esperava um país espontaneamente mais florido. Encontram-se flores lindíssimas mas em viveiros e jardins. Talvez pela época do ano (fim da estação das chuvas)




(Viveiro de orquídeas, Chang Mai, Outubro 2007)

Padong

As mulheres de pescoço comprido pertencem aos povos Karen de origem birmanesa, mas vivem no noroeste da Tailândia. Partilham o território com outras tribos de tradições igualmente idiossincráticas, embora menos espectaculares.

Imagino que para as raparigas mais jovens deve ser difícil escolher entre a tradição da tribo e a integração com o resto da sociedade. O guia não me deu resposta mas apontou uma rapariga que deixou de usar os colares. Parecia tão contente como as outras.

(Aldeia Padong, Mae Hong Son, Outubro 2007)

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

O Lótus Azul


(Wat Phra Kaew, ou Templo do Buda de Esmeralda, Bangkok, Outubro 2007)

Naeng Naeng Naeng

Para que serve o motor de um carro?


Para fazer andar um barco!

(Ilhas PhiPhi, Mar de Andaman, Novembro 2007)

Partir a loiça

Ou melhor, para que serve a loiça partida?

Para ornamentar um templo, pois então!

(Wat Arun, ou templo da madrugada, Bangkok, Outubro 2007)

Detesto aeroportos

Já não basta os aviões serem cada vez mais parecidos com aviários industriais voadores, os passageiros arrumados na classe económica como galinhas sem se poderem mexer a não ser para enfiar o bico na gamela, mas os aeroportos são demais.

Com a desculpa da segurança, passam-se horas em filas para os rX. As minhas roupas já são candidatas a leucemia têxtil. Acho degradante que os funcionários tenham de verificar que a minha pasta de dentes não é nitroglicerina em gel. E se fosse? Saberiam distinguir?

E o que é que apita quando passo os portais, se depois quando me revistam não encontram nada (não há nada)? Será que o portal apita aleatoreamente para justificar o emprego dos revistadores?

A 5ª frase

Já tinha deparado com esta corrente, que agora me toca pela gentileza da Moura Aveirense.

Abro portanto o livro mais à mão, na página 161, e a quinta frase completa é:


En outre, il ne faut pas considérer que dans le corps fini se trouvent des corpuscules en nombre illimité ni de n'importe quelle taille.

O livro é Épicure, Lettres, maximes, sentences, por Jean-François Ballaudé, uma publicação Le Livre de Poche em 1994. Infelizmente, parece-me que quase seria mais fácil ler Epicuro no original grego, e suspeito que este livro irá em breve para a prateleira sem ter sido acabado.

Quanto a continuar a corrente, a última vez que tentei não tive grande sucesso, por isso passo.

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

A Bélgica sem governo

A Bélgica está há 150 dias sem governo.
A pergunta que se deve fazer aos belgas é: acham que precisam dele?

E nem de propósito, vale a pena seguir este link do 31 da armada para o livro The Starfish and the Spider, e ler os excertos online.

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Os clássicos perdidos

A historiadora inglesa Mary Beard propõe que o facto de os nomes da maioria das peças sobreviventes de Eurípides começarem por epsilon e eta pode significar que o copista as tinha arrumado por ordem alfabética...

Ela também lança um desafio: quais as cinco obras perdidas da literatura Romana que gostaríamos que fossem encontradas em novas escavações na Villa dos Papiros?

Quem me conhece não se surpreende se eu puser em primeiro lugar três obras de César, Iter, o poema que escreveu durante os 27 dias de uma viagem de Roma à Hispânia Citerior, De Analogia, o seu tratado sobre gramática, e AntiCato, a sua resposta aos panegíricos que Cícero e Bruto escreveram sobre Catão.

A seguir, gostaria de ler os poemas de Hélvio Cinna (Cinna the poet!) e de Licínio Calvo, contemporâneos de Catullo, e as peças de Publílio Siro, e os anais de Ático, e...

Obituário

Tenho estado a pôr em dia a leitura dos meus blogs preferidos, e encontrei no Opera Chic uma referência à morte de R. B. Kitaj, um dos mais interessantes pintores do século XX, no passado dia 24 de Outubro.
Uma biografia encontra-se aqui, e alguns dos seus quadros aqui.

domingo, 4 de novembro de 2007

À atenção do ICEP

Talvez tenhamos de render-nos à evidência: actualmente, as principais exportações portuguesas são os jogadores de futebol.

Em países como a Tailândia ninguém conhece Portugal, mas toda a gente é capaz de fazer a ligação a Luis Figo e Cristiano Ronaldo.

Interrogação Verde

Se comecamos a falar com as plantas, acabamos a comer o que?

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

Descobertas - Parte III

Virginia Woolf sobre Jane Austen:

"Here was a woman about the year 1800 writing without hate, without bitterness, without fear, without protest, without preaching. That was how Shakespeare wrote..."

in K. J. Fowler, The Jane Austen Book Club, N.Y., 2005, pg 267

Descobertas - Parte II

"A dance is about who you'll dance with. Who will ask you? Who will say yes, if you ask? Who you'll be forced to say yes to. A dance is about its enormous potential for joy or disaster.
You remove all that - you put a band at an event where husbands just dance with their wives - and the only part of the dance you've got is the dancing."

"Don't you like to dance?" Sylvia asked.

"Only as an extreme sport," Allegra answered, "With the terror removed not so much."

Karen Joy Fowler, The Jane Austen Book Club, N.Y., 2005, pg. 163

Descobertas - Parte I

Glenn Gould trauteava sottovoce enquanto tocava.

Está gravado. Só reparei agora.

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Contagem decrescente II

Daqui a pouco mais de 24 horas, e por alguns dias:

- não lerei jornais portugueses :-)
- não me lembrarei do Sr. Silva nem do Sr. Sousa :-)
- não me peocuparei com o trabalho :-)
- não passearei pela web :-o
- não estarei com o meu cão :,-(
- ...

Hmmmm.... Vou fazer as malas.
Mapa daqui

domingo, 21 de outubro de 2007

O Melro e o Padre Cura

Vem este título* a propósito da noite de Gala de sexta-feira passada no S. Carlos, que serviu para apresentar dois cantores que vão aparecer mais vezes esta temporada e umas habilidades de José Cura.

A primeira parte foi preenchida com algumas árias e coros de ópera. Infelizmente, há uma boa razão para que nos espectáculos de ópera a orquestra fique no fosso: desta vez a Sinfónica Portuguesa encheu o palco e por várias vezes abafou completamente os cantores.

Estes cantaram mas não me encantaram; é possível que a ária de Liù, Signore ascolta, não tenha sido a mais bem escolhida para fazer brilhar Chelsey Schill, e admito que venha a revelar-se uma Gilda interessante, com uma voz cristalina. Johannes von Duisburg, hirto em palco, tem um vibrato nas notas longas que me incomoda. Medonho mesmo, foi pôr Maurício Ferrer, que está na mudança de voz, a cantar o pastor do início do terceiro acto da Tosca.

Quanto a José Cura, parece querer seguir os passos de Placido Domingo, desde cantar árias de barítono (que pena ter desaparecido do YouTube um clip em que Domingo contracenava consigo próprio a fazer Almaviva e Figaro) a reger a orquestra.

Mas para reger uma orquesta Cura tem ainda muito que aprender: no 1º andamento da 9ª Sinfonia de Beethoven achei-o uma distracção tão alarmante, com a batuta a fazer de metrónomo, que tive de fechar os olhos. O 2º andamento é tão genial (adoro aquelas pausas, as dissonâncias, a maneira como os temas são desdobrados pelos vários instrumentos - acho que está lá tudo o que os compositores do séc. XX quiseram fazer, mas em bom) que nem o Cura mo conseguiu estragar. O resto, confesso que achei uma seca.

Isto está mau. Veremos o que acontece com a continuação da temporada, mas acho melhor começar a sério a ver os programas de outras cidades pela Europa fora.

*Na realidade o título refere-se ao poema de Guerra Junqueiro, e não tem de facto à primeira vista que ver com o espectáculo em causa. O melro tem, mas é outra história.

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Watson, a inteligência e os jornalistas

Notícia do Público:

Declarações polémicas ao “Sunday Times”
James Watson diz que os negros são menos inteligentes que os brancos
17.10.2007 - 12h12 PUBLICO.PT
James Watson, Nobel da Medicina em 1962, um dos homens responsáveis pela descoberta da estrutura molecular do ADN, a dupla hélice da vida, precursor da genética, acredita que os negros são menos inteligentes que os brancos. As suas declarações, publicadas num trabalho no “Sunday Times”, de domingo passado, estão a envolver o cientista, mais uma vez, numa acesa polémica.

Notícia do Sunday Times:
October 17, 2007
Black people 'less intelligent' scientist claims
Helen Nugent
One of the world’s most respected scientists is embroiled in an extraordinary row after claiming that black people are less intelligent than white people.

Agora experimentem ler o artigo. Há várias citações de James Watson, e em nenhuma delas o cientista afirma que os negros são menos inteligentes do que os brancos. Diz só que têm uma inteligência diferente, e que o seu raciocínio evoluiu de modo diferente.

Diferente não quer dizer mau, como os homossexuais estão fartos de nos fazer notar. Mau é andar-se perdido no labirinto do politicamente correcto.

A Lei e a Ética

Notícia do Público:

Bastonário fala de arrogância
Ministério obriga Ordem dos Médicos a adaptar Código Deontológico à lei do aborto
18.10.2007 - 11h40 Catarina Gomes
Com base num parecer da Procuradoria-Geral da República, o Ministério da Saúde (MS) concluiu que a Ordem dos Médicos vai ter que alterar o seu Código Deontológico em relação ao aborto por desrespeitar a lei actual que despenalizou a interrupção voluntária da gravidez por opção da mulher até às dez semanas. O bastonário da Ordem dos Médicos (OM) qualifica o acto do ministro da saúde de "inútil, arrogante e prepotente".
(...)
"Nós não somos idiotas", responde o bastonário da Ordem dos Médicos, Pedro Nunes, para dizer que nunca "nenhum médico foi penalizado por cumprir a lei" que se sobrepõe a um código deontológico. E refere-se a um parecer da Provedoria de Justiça que dizia que a deontologia não tinha que ser alterada para se adaptar à lei tratando-se de princípios éticos da profissão. Obrigar a OM a mudar a deontologia é um "acto inútil", porque nada muda, mas que vale pelo seu simbolismo: trata-se de "um Governo arrogante que quer impor a um grupo profissional que mude a sua ética porque houve mudança na lei".

Interessante mesmo é ler os comentários a esta notícia. Perceber que há portugueses para quem a culpa dos problemas da Saúde em Portugal é dos médicos (até a falta de enfermeiros! Ah como esfrega as mãos de contente esta gente diante da próxima aplicação do ponto digital, aka controle biométrico da assiduidade). Perceber que há portugueses que não distinguem deontologia e lei. Perceber que há portugueses que não sabem fazer contas, nem sabem que o resultado deste referendo, não sendo vinculativo, só se tornou lei porque era o resultado que interessava à maioria socialista. E, por outro lado, perceber que há portugueses que entendem perfeitamente o que se está a passar.

O bastonário está farto deste desgoverno. Estamos todos. Eu, que sou a favor da despenalização do aborto, e espero nunca ter de fazer nenhum, acho que as leis mudam conforme o que é conveniente para os povos, mas que a ética não se muda ao sabor das leis.

Falem baixo

Notícia do Sol:

5a-feira, 18 Outubro
Estudo sobre saúde
Altura na idade adulta afecta qualidade de vida
Um estudo britânico revela que as pessoas baixas consideram ter pior saúde física e mental do que as pessoas com um tamanho considerado normal
(...)
Os resultados realçam que quanto mais baixas são as pessoas, mais baixa é a classificação que atribuem à sua qualidade de vida.

Ganda nóia, hem?

O livro dos recordes da estupidez

Se não existe, deveria existir, e nele caberia certamente a iniciativa mundial «Levanta-te» contra a pobreza, cujo objectivo, segundo o Sol, era reunir centenas de estudantes universitários numa cama gigante para que os participantes se «deitem juntos» e «despertem juntos contra a pobreza».
O telejornal da RTP de ontem enfatizava a pretensão de uma entrada no Guinness Book of Records, o que parece confirmar-se.
A "iniciativa", organizada em Portugal pela Associação PAR, teve apoios da Delta cafés e da TMN.

Ah, que generosidade!
Se tivessem entregue o dinheiro ao Banco Alimentar contra a Fome, às Misericórdias, aos orfanatos, não teria sido mais útil no alívio da pobreza?