sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Tenerife

A última viagem do ano foi uma há muito adiada. As Canárias têm a reputação manchada como destino de turismo de massas, Albufeiras tamanho gigante, plantações de hoteis que são uma das piores invenções dos espanhóis. Mesmo assim, desta vez enchi-me de coragem e aterrei em Tenerife.

Obviamente há esses monstros, desde os mais conhecidos como a Playa de las Americas até outros aparentemente mais remotos:

(Puerto de Santiago, Novembro 2015)

Mesmo assim é possível encontrar uma cidadezinha mais discreta com a sua praia artificial

(Alcalá, Novembro 2015)

e até ficar num aparthotel cheio de estilo:

(Alcalá, Novembro 2015)

debruçado sobre a praça onde à segunda-feira se faz o mercado local.

Ainda há pequenas praias civilizadíssimas de areia negra:

(Alcalá, Novembro 2015)

ou piscinas naturais que ao fim de semana são frequentadas também pelos locais, ou tinerfeños:

(Garachico, Novembro 2015)

Uma excursão a fazer, contudo, é a que nos leva a ver baleias:

(Puerto de Santiago, Novembro 2015)

e golfinhos:

(Puerto de Santiago, Novembro 2015)

e estas falésias conhecidas como Los Gigantes:

(Alcantillado de Los Gigantes, Novembro 2015)

Inspirados por estas, mas deixando a costa, podemos embrenhar-nos por montes escarpados:

(Santiago del Teide, Novembro 2015)

(Santiago del Teide, Novembro 2015)

É preciso alguma coragem para negociar curvas seguidas em cotovelo em estradas em que só a berma nos salva quando cruzamos um autocarro, e podemos chegar ao destino e não conseguir lugar para estacionar quando nos apetecia uma bebida reconfortante.

(Mazca, Novembro 2015)

Mais fácil, afinal, é a visita ao Teide, o vulcão que domina a ilha, com quase quatro mil metros de altura:

(Teide, Novembro 2015)

(Teide, Novembro 2015)

apesar de no teleférico não aceitarem grávidas, cardíacos ou cães ☹

(Teide, Novembro 2015)

Procurem-se então terrenos mais amigos, mais urbanos:

(La Orotava, Novembro 2015)

onde pontifica o dragoeiro milenar

(Icod de los Vinos, Novembro 2015)

e há túneis com vista

(Icod de los Vinos, Novembro 2015)

igrejas antigas

(La Orotava, Novembro 2015)

(La Orotava, Novembro 2015)

e mesmo recintos arqueológicos
(Güimar, Novembro 2015)

com pirâmides construídas pelos guanches, os habitantes pré-hispânicos:

(Güimar, Novembro 2015)

8 comentários:

Mário Gonçalves disse...

Muito completa, Gi, esta voltinha pela ilha. E com sol !
Nunca fui, adiei, adiei... tenho a ideia, das pesquisas que cheguei a fazer, que Garachico e La Orotava eram os sítios mais interessantes, depois um dos meus irmãos subiu de jeep ao Teide e achou fantástico.

Obrigado, Gi, boa quadra festiva !

Gi disse...

Gostei muito de visitar o Teide, Mário, mas fui de carro pela estrada que aparentava ter menos curvas ;-)
Mesmo assim a paisagem é muito interessante, variável consoante as diversas erupções.
Uma delas destruiu Garachico que foi toda reconstruída.
Soube-me bem ficar em Alcalá, que é uma terra normal embora a dois passos do mar. Lugares como a Playa de las Americas, Adeje ou Puerto de Santiago são aquilo que menos me apetece.

luisa disse...

As falésias Los Gigantes são impressionantes. :)

Fanático_Um disse...

Obrigado pela excelente reportagem fotográfica, nítida e soalheira. São terras que não conheço, mas a curiosidade fica mais aguçada.

Gi disse...

Muito, Luisa. A altura, por volta dos 500 m, é praticamente a do Cabo Girão na Madeira, mas mais selvagem ainda.

Gi disse...

Fanático _Um, eu fiquei com vontade de voltar e conhecer também as outras ilhas.

João Afonso Machado disse...

Que formidável colecção de ftgrfs, Gi!
Então a baleia! Há anos dei cabo de uma máquina (com água salgada) a fotogrfar golfinho em S. Miguel. A baleia não apareceu...

Gi disse...

João Afonso, vi baleias há anos no Canadá, mas estas são diferentes. Os golfinhos também são diferentes dos nossos roazes.Todos estes bichos são bastante brincalhões e pacientes. As fotografias foram feitas com o telemóvel, eu cheia de medo que caísse à água...