quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

E vão dois

Depois de David Bowie também se foi o actor Alan Rickman, com a mesma idade e a mesma causa de morte. Semana nefasta esta.


Os jornais ligam Rickman ao filme Die Hard e aos da série Harry Potter. O primeiro já vi há tanto tempo que não me lembro do vilão, mas sei perfeitamente que a primeira vez que notei a existência de Rickman foi em Sense and Sensibility, e achei-o bastante sexy embora um bocado zombie... Fazia o admirador da personagem de Kate Winslet, que mal dava por ele.
Lembro-me também dele como chefe do partido nacionalista irlandês em Michael Collins e como o adúltero professor em Love Actually.

Imagem de We ♥ it

Em nenhum dos casos era o protagonista, mas ainda assim era uma presença. No IMDb encontrei uma citação sua que o define como actor:

I approach every part I'm asked to do and decide to do from exactly the same angle: who is this person, what does he want, how does he attempt to get it, and what happens to him when he doesn't get it, or if he does?

Parece-me bem.

4 comentários:

Catarina disse...

Não ouvi notícias hoje. Não sabia! Oh… : (

Mário Gonçalves disse...

O Hans Gruber de Die Hard foi um vilão impressionante, à altura dos vilões de Sergio Leone...

Rickman tinha perfil de mau da fita, nunca gostei dos papéis em que fazia de bonzinho. O professor Snape foi um dos melhores personagens em todos os Harry Potters.

Só tenho pena de não o ter visto no teatro.

Gi disse...

Catarina, no princípio do ano morre sempre uma série de celebridades... Deve ser por falta de sol.

Gi disse...

Mário, agora deu-me vontade de voltar ao teatro a Londres!