segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

A propósito de Arte Nova

aqui comentei como me surpreendeu o bairro Art Déco de Miami, quando o esperava semelhante às grandes avenidas de Lisboa.
Lembrei-me disso agora ao ler este post no blogue O Livro de Areia. A Arte Nova finlandesa tem pouco a ver com a que vi em Nancy, considerada a capital francesa desse estilo:




Particularmente conhecido é o Café Excelsior:


O museu da Escola de Nancy e a colecção Daum no museu de Belas-Artes, que não cheguei a visitar, devem ser uma perdição para quem gosta de peças deste estilo.

Nancy não é, contudo, apenas (!) Arte Nova. Sem me debruçar muito sobre a arquitectura medieval, de que também tem uns espécimes, a praça Stanislas, do século XVIII, é extraordinária:



(Nancy, Novembro 2014)


Ali bem pertinho fica a Rue des Maréchaux, que não comunga desta monumentalidade, mas é conhecida como a rue gourmande vá-se lá saber porquê ;-)

2 comentários:

Mário Gonçalves disse...

Obrigado pela menção, Gi.

Os temas da Arte Nova são os mesmos em Raahe, em Glasgow, Älesund, Bruxelas ou Nancy; os materiais poderão ser diferentes e os artistas... de outro nível.

De resto, os mesmos "arabescos" decorativos inspirados em motivos vegetais ou geométricos.

Gi disse...

Não tem de quê, Mário.
O que me agrada na Arte Nova é os arabescos não serem só decorativos mas integrarem a estrutura - isso e a leveza.