quarta-feira, 6 de julho de 2011

O lugar do lixo (desabafo)

A verdade é que diante da decisão da Moody's de baixar a classificação da dívida Portuguesa para lixo, o que tem levantado protestos indignados não só aqui no rectângulo mas também no resto da Europa (a sério, vimos finalmente nos jornais estrangeiros, que luxo) em grande parte porque os outros países também estão à rasca, começa a parecer-me que quem tem razão é o Bloco de Esquerda.

Afinal, o que é que se faz ao lixo? Deita-se fora. Por isso, senhores investidores, se os nossos IOUs não passam de lixo, se acham que não vamos pagar, rasguem-nos e metam-nos no ecoponto azul. Talvez nos evitem anos de sofrimento.

Ou como escreve hoje a Ana Vidal, parafraseando um possível futuro estudante de Filosofia, Lixo é a tua tia, pá.

7 comentários:

mfc disse...

Sabes?! Quanto ao Bloco... é mau ter-se razão antes do tempo!!!

Mário disse...

Vamos outra vez à parábola do merceeiro.

O Zé, que costumava consumir e pagar, desde há meses que leva para casa e vai deixando aumentar a conta a fiado; o merceeiro está preocupado e conta ao vizinho, que lhe diz: "esse dinheiro ardeu, pá, nunca mais o vês".

O merceeiro fica a matutar, tem alguns clientes bons que vão pagando; "corto-lhe o crédito de vez, ou vou ter bom coração e abater um bocado da dívida a ver se o ajudo?".

Bom, há merceeiros tipo I (corta, kaput) e cristãos tipo II (vá lá, perdoo, vê se te emendas).

O vizinho é a Moody's: pôs o Zé no "lixo" (= esse dinheiro ardeu, nunca mais o vês). O merceeiro é o BCE, o FMI, os bancos... em última análise é a ele que cabe decidir. O vizinho Moody foi só o mensageiro das más novas; quem o Zé precisa de convencer é o merceeiro, não o vizinho.

Paulo disse...

Parafraseia muito bem a Ana.

Mas Mário, o pior é o nosso merceeiro deixar o vizinho mandar nas nossas contas. Digo eu, que, como a Gi sabe, não percebo nadinha de contabilidade, quanto mais de matemática aplicada...

Mário disse...

mmmmmm

duvido, Paulo. O "vizinho" é um tigre de papel.

Pode é o merceeiro querer assobiar para o lado. Tem de se lhe dar um beliscão.

João Afonso Machado disse...

Lixo é a República. O rating é da República.
Não tarda, está M. Soares na TV e explicar aos portugueses o porquê desta avaliação da Moodys. Eu acredito que ele saiba.

George Sand disse...

Talvez esteja na altura da Europa repensar estas decisões da Moody's. Ou seja, a tentativa da sobrevalorização do dólar a qualquer preço.

Gi disse...

Mfc, na verdade o Bloco faz alguns bons diagnósticos mas raramente acerta na terapêutica, sobretudo porque não há dinheiro para os medicamentos.

Mário, a sua história está muito bem contada excepto:
o Zé sempre comprou fiado, e ao fim do mês pagava só parte da dívida, que ia sempre aumentando;
o Zé trabalha em part-time e faz uns biscates, pelo que não se vê que consiga alguma vez pagar a dívida;
além de dever ao merceeiro, o Zé comprou um carrito...

Paulo, a Ana, como eu, desabafou :-)

João Afonso, os bancos que compraram a dívida da República também se tornanram lixo. Quanto às guerras entre a maçonaria e a Obra, são fundamentais e o pessoal nem se apercebe.

George Sand, essa é outra guerra, e a China já alardeia a sua própria agência de rating.