quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Competitividade

Notícia do Público:

Fábricas do México, Finlândia e Hungria afectadas
Nokia despede 4000 trabalhadores para produzir na Ásia
08.02.2012 - 10:28 Por Lusa
A Nokia, o maior fabricante mundial de telefones móveis, anunciou hoje a intenção de deslocar para a Ásia a montagem dos smartphones (telefones inteligentes) ainda este ano, despedindo 4000 trabalhadores nas fábricas do México, Finlândia e Hungria.
Com esta medida, de acordo com a agência EFE, o gigante finlandês pretende aumentar a sua competitividade (...)

Continuem que vão bem. Quando todas as empresas que puderem passarem a produção para a Ásia, desempregando assim os trabalhadores europeus, quando os europeus não tiverem dinheiro nem para comprar produtos feitos na Ásia, vai vir charters de asiáticos visitar os palácios e as igrejas (e os bonitos túneis e auto-estradas) europeus, tirar fotografias e perguntar, como nós fazemos agora diante das pirâmides de Chichen Itza ou nas cavernas de Altamira, quem seriam e como viveriam os povos extintos que construíram tão extraordinário património.

3 comentários:

Mário disse...

E não esquecer que assim estamos a desindustrializar, a destruir tecido produtivo que será muito mais difícil recuperar, e a converter os nossos países em serviçais, que importam tudo o que é vital.

Está na altura de impor algum protecionismo, não ?

Gi disse...

Mário, e vamos a tempo?

Mário disse...

Nós aqui não, mas a Finlândia e a Hungria ainda iam... e mais uns quantos.

Mas o nosso ténue tecido industrial definhou logo a seguir ao 25 de Abril.