domingo, 13 de setembro de 2009

Sítios arqueológicos/Archaeological sites

Uma das coisas que me agradam na Grécia é poder passar uma ou duas horas na praia e depois (ou antes) percorrer as ruínas de um palácio ou de um templo. Se desta vez não fui à Acrópole de Atenas, que me parece cada vez mais cheia de andaimes e tubos de aço, não deixei de passear no meio de velhas pedras - e muitos "restauros".

kouros

(pedreira de Flerio, Naxos, Setembro 2009: kouros)

One thing I like about Greece is to be able to enjoy a couple of hours on the beach and later (or earlier) wander the ruins of a palace or temple. This time I did not go to Athens' acropolis, which looks every time more burdened by metal tubes and scaffolding, but I still managed to find myself among old stones - and not a few "restorations".

odeon

(Odeon de Gortyn, Creta, Setembro 2009)

O palácio de Knossos em Creta, morada do rei Minos e cenário labiríntico das histórias de Ícaro de Teseu, só não foi maior desilusão porque já estava avisada: as paredes pintadas de encarnado, as colunas, os lintéis, não passam de reconstruções em betão segundo as ideias de Arthur Evans, o responsável pela escavação. Phaistos, no sul da ilha, é mais autêntico - e menos procurado pelas excursões turísticas.

(Knossos, Creta, Setembro 2009)

The Knossos palace in Crete, home of king Minos and labyrinthine backdrop to the Icarus or Theseus stories, wasn't a greater disappointment only because I had been warned: the red painted walls, the columns, the lintels, are no more than concrete reconstructions according to the ideas of Arthur Evans who was responsible for the digging. Phaistos, on the southern part of the island, is more authentic, and therefore less attractive to touristic excursions.

(Phaistos, Creta, Setembro 2009)

2 comentários:

Mário disse...

Estive por aí há muuuitos anos. A acrópole estava limpa e "deserta" ...pude sentar-me a contemplar sem ninguém na frente...

Knossos é muito lindo e sugestivo mesmo restaurado. Mas o que me encheu as medidas foi o Museu de Heraklion e o "umbigo" de Delfos. Onde almocei como um deus, a ver o Egeu lá ao fundo...

A praia, ora, tive de pagá-la !!!!!

Gi disse...

Mário, nunca vi a acrópole assim, e pensei que a conhecia há muuuitos anos ;-)

O problema com os restauros de Knossos é às vezes não se distinguir bem o que é autêntico e o que é inventado.
O museu de Heraklion está momentaneamente reduzido a uma única sala.
E em Delfos sim, sente-se a presença dos deuses.