segunda-feira, 7 de junho de 2010

Da inconsciência como forma de vida

Notícia do Diário de Notícias:

Governador/Posse
"Saio de consciência completamente tranquila" -
Vítor Constâncio

Hoje
Vítor Constâncio garantiu hoje deixar o cargo de governador do Banco de Portugal "de consciência completamente tranquila" por tudo o que fez e deixou esboçado, sublinhando a apreciação positiva a nível internacional do regulador.
(...) "Se assim não fosse, certamente eu não seria escolhido entre muitos potenciais candidatos para a vice presidência do Banco Central Europeu.(...)" (...)

Eu ouvi há umas semanas na televisão o sr. Trichet dizer que não fazia ideia de qual a actuação do sr. Constâncio no Banco de Portugal. Se calhar a razão da eleição não foi a competência do sr. Constâncio, mas ele parece desconhecer coisas como negociações políticas, jogos de xadrez, peões, ou até palhaços.

3 comentários:

Mário disse...

Gi,

O que é que pensarão os portugueses quando alguém sente a necessidadae de dizer que "sai de conscêcia tranquila?"

Nem seque ficar calados sabem !

Tenho a certeza que, se tivesse sido apanhado vivo, essas seriam as últimas palavras de Adolf Hitler.

(sem querer identificar,claro)

Mário disse...

Peço desculpa das gralhas, vou de mal a pior

Gi disse...

:-) Mário, as gralhas acontecem, acho eu.

Quando esta gente diz estas coisas dá vontade de responder como o rei D. Juan Carlos, não dá?