quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Crenças

(...) quae volumus, et credimus libenter et, quae sentimus ipsi, reliquos sentire speramus

acreditamos mais facilmente naquilo que desejamos, e esperamos que os restantes sintam o que nós sentimos


C. I. Caesar, De bello Civili, II, 27

Hoc ubi uno auctore ad plures permanaverat, atque alius alii tradiderat, plures auctores eius rei videbantur.

Esta [opinião] quando um autor a passava a muitos, e cada um destes [a] transmitia a outros, parecia ter vários autores.


id, II, 29

A minha amiga S., como tanta gente sem formação científica, acredita em coisas como o poder da mente, a malignidade das micro-ondas e a eficácia da homeopatia e da imposição das mãos (que agora tem um nome mais interessante, reiki).

Outro dia fi-la ler um artigo na Revista da Ordem dos Médicos (número ainda não online), que explicava o que vêem os médicos de errado nas medicinas alternativas: a falta de base racional, a falta de controle de qualidade dos medicamentos, a ausência de validação das terapêuticas por ensaios controlados e repetíveis, e a subtracção de doentes a tratamentos médicos eficazes.

Ela leu e, devolvendo-me a revista, apenas comentou:

Muito bem, mas eu tenho outros dados.

11 comentários:

Mário disse...

É uma batalha perdida, Gi. A ciência perde porque foi incapaz, com o "progresso", de trazer mais felicidade aos homens.

As crenças, sejam religiosas, medicinais, apocalípticas ou astrológicas, assentam na procura dessa "felicidade" ou bem estar. Tenho também um amigo filósofo bastante culto, viajado, bem relacionado, que jura pela mutação resultante de uma intervenção extraterrestre que está para breve. Com muitos "factos" a provar. Vamos ser imortais , deixar de depender do corpo, etc. Não há argumento científico que o demova. Rir da coisa faz com que se zangue e se agarre ainda mais à crença. Ainda ontem me enviou "fotos secretas do pentágono" do acontecimentp de Roswell (!!ainda!!) a provar que eles andam a esconder tudo, os contactos imensos que tem havido com aliens.

Já desisti. Acho-lhe piada, sobretudo quando argumenta com a incerteza de Heisenberg, os paradigmas da Nova Ciência, os poderes fabulosos da Mente, capaz de provocar acontecimentos, concluindo que eu sou um positivista cego e retrógrado.

Ora, sucede que ele é uma pessoa alegre, divertida, comilão, borguista, entusiasta noas seus ideais; enquanto eu sou mais ou menos o contrário, ou seja, fico a perder, se formos a ver, com a minha racionalidade científica que só me dá melancolia...

mfc disse...

E não há quem as(os) convença do contrário.
É triste... mas é assim mesmo!!
É essa a génese de todas as espécies de fé...!

George Sand disse...

Gi,

Se forem técicas do género massagens, os tais reikis etc...talvez possam servir para ajudar a recuperar, ou pelo menos a fazer as pessoas sentirem-se relaxadas e bem. Agora fazer isso interferir na área médica acho um perigo.

(Se disse alguma asneira corrija. Não é de todo a minha área e, com a saúde ão se brinca)

FanaticoUm disse...

Concordo com o Mário quando diz que é uma batalha perdida. Todos conhecemos casos de pessoas cultas e informadas que, contudo, acreditam em crenças, de forma mais ou menos explícita.
Mas discordo do Mário quando diz que a ciência, com o "progresso" foi incapaz de trazer mais felicidade aos homens. Se nos centrarmos apenas na medicina, os avanços científicos no último século foram gigantescos e penso que ninguém minimamente informado (mesmo os que defendem as ""crendices") o não reconhece. A esperança de vida actual versus o que era há cem anos ilustra de forma irrefutável o progresso da medicina. Poderíamos salientar múltiplas áreas onde ele tem sido notável, mas penso que esse debate excede o âmbito do que estamos a comentar.
Mas, haverá sempre quem creia no que não tem base racional e não se demonstra cientificamente. São os tais "outros dados"...

Gi disse...

Mário, olhe que Epicuro dizia que o caminho para a felicidade está no abandono de opiniões erradas :-)

Mfc, a fé é isso mesmo. Mas sabes que na origem queria dizer confiança?

George Sand, as massagens são óptimas mas, como diz, quando os massagistas acham que curam, torna-se complicado. E o reiki diz que passa energia curativa...

FanaticoUm, quando julgamos que certos progressos em direcção ao bem-estar são evidentes (que bom não morrermos em sepsis depois de um pequeno corte, não é?) são evidentes, há sempre alguém que contra-argumenta ao lado.

FanaticoUm disse...

Gi, é verdade e que bom é sabermos que, na maioria das situações infecciosas, temos antibióticos disponíveis para as curarmos (apesar da alarmante resistência) e, ainda antes, cada vez são mais as doenças potencialmente mortais que hoje podemos evitar pela vacinação!
Estou apenas a citar dois dos grandes avanços científicos na medicina do século passado, as vacinas e os antibióticos, mas haveria tantos outros marcos a assinalar...
Esperemos que, com esta espiral de "cortes" anunciados para o nosso triste País (que, suspeito, sejam emanados por quem não conhece a realidade "no terreno", pelo menos na Saúde assim parece) não degrade ou inviabilize uma das melhores coisas que temos, o Serviço Nacional de Saúde. É daquelas que, só quando fortemente lesada ou inviabilizada, se perceberá a dimensão da perda.

Mário disse...

Oh, mas como Epicuro estava enganado! Alma feliz é alma ceguinha...

Gi disse...

FanaticoUm, desculpe só agora responder, estive fora.
Suspeito que o SNS como o conhecemos vai mesmo acabar, e vai passar a haver as seguradoras para os ricos e as Misericórdias para os pobres.
A clínica privada também não vejo que se aguente.

Mário, espero que não, espero que não ;-)

FanaticoUm disse...

Também concordo consigo, Gi. Acho que vamos assistir ao desmonoramento de um dos maiores avanços que a nossa sociedade alcançou nos últimos anos, apesar de todos os abusos e disfunções que, ocasionalmente mas não frequentemente, se constataram. Tenho muita pena (e apreensão) deste retrocesso, mas vejo-o irreversível. Cometeram-se enormes erros na governação política do país e o preço a pagar parece vir a ser asfixiante (e, como sempre entre nós, os responsáveis sorriem e passam ao lado...)

Isa disse...

a medicina tb nao reconhece a acumpuntura nem a homeopatia...

Gi disse...

Pois não, Isa, e a homeopatia é um excelente exemplo de pseudociência, como expliquei aqui.