sábado, 29 de janeiro de 2011

Números

Notícia do Público:

Sócrates quer modernizar e adaptar hospitais às exigências do país
29.01.2011 - 19:24 Por Lusa
O Governo quer “modernizar e adaptar os hospitais às exigências do país” de forma a melhorar a qualidade do Serviço Nacional de Saúde (SNS). O objectivo foi firmado hoje pelo primeiro-ministro, durante uma visita ao novo hospital de Braga.
(...)
A nova unidade hospitalar, que irá substituir o Hospital de S. Marcos, tem uma área bruta de 102.400 metros quadrados, uma área “equivalente a 13 estádios de futebol”, segundo explicou à Lusa fonte na empresa construtora. Vai ter 45 blocos operatórios, 704 camas e dois mil lugares de estacionamento, além de uma farmácia e um heliporto.
(...)


Nunca conheci um hospital que tivesse quarenta e cinco blocos operatórios. Não faço ideia onde irá o novo hospital encontrar equipas para trabalharem em todos eles. Só se for nas Novas Oportunidades, e assim sendo em breve acabarão as listas de espera cirúrgicas deste país.

De uma maneira ou de outra.

7 comentários:

Goldfish disse...

De uma forma ou de outra, de certeza! E há tanta gente assim em Braga???

Fernando Vasconcelos disse...

Por acaso pensava que a tendência considerada correcta era a de unidades relativamente mais pequenas mas posso estar enganado ...

Gi disse...

Goldfish, Fernando, o concelho de Braga tem, segundo li aqui, perto de 174.000 habitantes, e segundo a Wikipédia o distrito tem mais de 880.000, aproximadamente o dobro da população residente no Algarve.
Precisa provavelmente de um hospital de tamanho razoável, e 704 camas é capaz de ser razoável, não sei. Mas 45 blocos operatórios a trabalhar ao mesmo tempo exigem por turno pelo menos 35 anestesistas (admitindo que em 10 salas se façam intervenções sob anestesia local), entre 80 e 115 enfermeiros, 45 cirurgiões e 45 internos de especialidade, mais um número que não sei precisar de auxiliares de acção médica.
Além destes haverá cirurgiões nas consultas, nas enfermarias e suponho que na urgência, e enfermeiros e auxiliares de folga. Parece-me muita gente para um hospital distrital, e nunca vi, quer aqui quer no estrangeiro, nada que se parecesse.
Talvez na China...

Helena disse...

Eu vinha aqui rir-me do "de uma maneira ou de outra", mas no entretanto passou-me a vontade de rir...

Gi disse...

Pois é, Helena, infelizmente.

Luísa disse...

É outra edição do Hospital de Santa Maria - que esteve anos subaproveitado - e uma pré-edição do que será o Hospital de Todos os Santos, planeado para substituir não sei quantas unidades dispersas, incluindo S. José e a Estefânia. Os entendidos, Gi, recomendam as pequenas unidades, como refere o Fernando. Mas os tempos estão para os megalómanos. :-S

Gi disse...

Luísa, eu trabalhei em Santa Maria e nem ali havia 45 blocos operatórios. Mesmo assim, como diz, esteve subaproveitado; não sei como está agora, talvez sirva para o SIGIC (o programa para diminuir as listas de espera cirúrgicas).