domingo, 11 de março de 2012

Abaixo as saias

Notícia de Le Figaro:

Des collégiennes privées de jupes et renvoyées chez elles
Par Agnès Leclair
Publié le 09/03/2012 à 16:36

(...)
Pas de jupe pour la Journée de la femme… Jeudi, à l'occasion du 8 mars, une trentaine d'élèves du collège Roger-Vailland de Poncin, dans l'Ain, avaient délaissé leur jean pour une tenue plus féminine. L'initiative a inquiété la direction de l'établissement qui a invité les collégiennes, âgées de 13 à 15 ans, à aller se changer. «En raison d'agressions verbales dont certaines ont été victimes, un membre de l'équipe de direction leur a proposé d'adopter une autre tenue», a expliqué vendredi Sylvain Weisse, le principal du collège.
(...)


Essa de as raparigas não poderem usar saia e poderem ser insultadas por o fazerem é nova para mim, que ainda me lembro da primeira acção colectiva em que participei, no liceu feminino que frequentava, para pedir à reitora que nos deixasse usar calças - ao que ela acedeu.

Vamos lá ver: eu acho que o ideal seria as escolas e colégios obrigarem ao uso de uniforme, como ainda hoje se faz em Inglaterra ou na Índia. Facilita a vida das famílias ao evitar que a tirania das marcas se instale nas cabecinhas vulneráveis de crianças e adolescentes. Mas isso é uma história totalmente diferente.


(Jaipur, Novembro 2006)

6 comentários:

Mário disse...

Mas que cretinice. Os imbecis proliferam, não é preciso ir longe. Só falta que equiparem a saia à gurka como veículo cultural de subissão. O tempora, o mores.

mfc disse...

Esta não lembraria ao diabo!!
Onde é que ainda vamos chegar?!

Catarina disse...

Todas as escolas secundárias católicas exigem o uso de uniforme (e as privadas). As raparigas podem usar calças mas a maioria prefere os kilts – cada escola tem a sua cor. O que acontecia é que os kilts cada vez ficam mais curtos à medida que os anos letivos iam passando. Chegou uma certa altura em que quase apenas se viam pernas e muito pouco da saia. Há poucos anos, foram implementadas regras quanto ao tamanho do dito kilt. Quem não seguir o exigido não pode frequentar as aulas.

Gi disse...

Mário, ainda pensei que as saias fossem muito curtas mas isso não é sequer referido no artigo. E se alguém devia ser repreendido são os boçais que as insultaram.

Mfc, pois é.

Catarina, tudo isso me parece de muito bom senso, como aliás é costume no Canadá.

luisa disse...

Realmente...nem dá para acreditar.

Gi disse...

Luisa, será possível que o jornalista tenha contado só parte da história?