sexta-feira, 16 de março de 2012

Ecos

Una voce poco fa é uma das árias mais conhecidas de Rossini, uma das que me divirto a desafinar no duche ou no carro, se estiver sozinha. Esta tarde, a ouvir na Antena2 o Concerto para trompete em ré maior de Leopold Mozart, na interpretação de Wynton Marsalis, reconheci as frases familiares.

Aqui, a partir do minuto 01:30 (Il tutor ricuserà/ Io l'ingegno aguzzerò/ Alla fin s'accheterà/ E contenta io resterò)


e aqui, do minuto 01:15


Engraçado, não?

20 comentários:

Teresa disse...

Impossível não notar.

Como impossível é não notar também como as notas iniciais e tema dominante são as mesmas de um andamento de Music for the Royal Fireworks, de Händel

Teresa disse...

http://www.youtube.com/watch?v=4BQemxvhhDQ

Gi, mude a caixa de comentários. Assim não somos notificados por mail.

Paulo disse...

Andavam todos a copiar-se uns aos outros, portanto.
Nunca tinha ligado ao Concerto para Trompete e, de facto, a Teresa tem razão. Quando menos esperamos, descobrimos que a ária da Rosina tem as suas origens em Handel.

Gi disse...

Teresa, já mudei. Gostava do meu pop-up, mas esta versão embedded vem com a possibilidade de responder directamente ao comentário que se quer, o que é interessante.

Gi disse...

É verdade, Teresa, essa tinha-me escapado.

Gi disse...

Pois andavam, Paulo. Mas ao menos faziam boa música, ao contrário de alguns copiadores modernos que a Ana Vidal tem andado a mostrar-nos.

Mário disse...

Descobre cada coisa, Gi ! ;)

Aposto que Rossini nem conhecia este Leopold, mas o concerto parece mesmo um pastiche vergonhoso e descarado de Händel. Leopold só tinha mais 30 anos.

Ah. e partilhamos o fascínio pelo Uma voce poco fa da DiDonato ! Fenomenal!

Gi disse...

Mário, é interessante pensar que naquela época não havia CDs nem outros registos facilmente audíveis por toda a gente, e até os compositores podiam nunca ouvir as suas próprias obras.
Por outro lado, as partituras eram publicadas e se calhar circulavam. Por isso não faço ideia até que ponto os diversos compositores conheciam as peças uns dos outros.
Mas acho graça encontrar estas semelhanças.

Paulo disse...

Eram copiadores de qualidade.

Teresa disse...

Nada substitui o nosso pop-ip. E eu odeio esta nova caixa de comentários. Mas é a única que agora nos permite retorno.

Gi disse...

O pop-up permitia ler os comentários sem deixar a página principal, o que esta caixa não permite. E para poder comentar nesta é preciso mandar o browser aceitar third-party cookies, se não o Blogger não reconhece a nossa identidade.
Uma seca.

Gi disse...

Uma espécie de Xerox, em lugar destas fotocopiadoras feitas na China.

Teresa disse...

Mário, deixe-me apresentar-lhe a minha Rosina favorita. :)

http://www.youtube.com/watch?v=RvW9cUCuPQI

ana v. disse...

Gi, não há dúvida: tenho de contratar-vos (junto o Paulo e a Teresa) para a minha série! Posso roubar esta descoberta, já que estamos numa de roubos descarados? :-)

Teresa disse...

Mas está claro! Por mim estás à vontadinha!
A maior parte das pessoas já acha o meu blogue um tédio, imagina se punha lá istp! :)

Gi disse...

Excelente, claro, Teresa, apesar de não ser uma gravação ao vivo.

Gi disse...

Qual roubar, Ana, empresto-lha de boa vontade :-)

Paulo disse...

Eu não tenho grande jeito para detective, ao contrário de vocês ambas as três. Se calhar perderias com o negócio, Ana.

Mário disse...

Excelente, Teresa, a Berganza!
Mas reparou que canta mais devagarzinho? Mas tem uns belíssimos registo grave, sensual.
Ok, !º DiDonato, 2ª Berganza.

Obrigado!

ana v. disse...

Não perderia coisa nenhuma, Paulo. Já tenho várias dicas tuas que são preciosas, não sejas modesto. :-)