quinta-feira, 22 de março de 2012

A linguagem vista do Alentejo

Ouvido na Praça do Giraldo, em Évora, cidade universitária e património cultural, da boca de um rapaz que passava com dois outros amigos:

...uma cena... bué, tipo, tás a ver...

Há pessoas que parecem caricaturas de si próprias.


(Évora, Março 2012)

11 comentários:

Paulo disse...

Cenas tipo essa são o prato do dia. É frequente ouvir conversas nos transportes públicos das quais não entendo népia. É bué... tipo... frustrante.

Gi disse...

Ganda nóia, então, meu.

Funes, o memorioso disse...

E tem a certeza que era um autóctone?

Gi disse...

Não sei, Funes, podia ser um visitante à procura das melhores palavras para descrever o templo de Diana aos amigos.

Paulo disse...

Ah, então está explicado. Devia ser isso, sim.

Mário disse...

:( o meu querido sobrinho R. fala assim ... é tão bom rapaz (19 anos), pinta, desenha, gosta de música, e fala tipo bué, tás a ver.

Buáááá, choro eu.

Paulo disse...

Brutal, Mário. Acho mêmo.

Gi disse...

People, esta discussão está altamente.

Paulo disse...

Agora fico sem deixa, meu.

Joao Quaresma disse...

É a geração mais bem preparada de sempre, ao que dizem. Como se não bastasse o que o Acordo Ortográfico está a fazer ao Português escrito.

Os 'autótones'...

Gi disse...

JQ, às vezes já nem sei se pronuncio certas consoantes ou não. E acho que na dúvida vou passar a pronunciar todas ;-)