quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Produto estruturado

Notícia do Público:

Viagens familiares nas despesas do Alaska
O guarda-roupa de Sarah Palin e da família já custou 150 mil dólares aos republicanos

22.10.2008 - 18h56 Sofia Cerqueira
Segundo registos da campanha eleitoral, o comité nacional republicano gastou mais de 150 mil dólares (mais de 113 mil euros) em roupas e acessórios para a candidata à vice-presidência Sarah Palin e respectiva família, desde que se soube que a governadora do Alaska seria a escolha de John McCain, no fim de Agosto. Ao mesmo tempo, foram também revelados relatórios oficiais do estado do Alaska que declaram o débito de despesas familiares da governadora nas contas do estado.


Faz-me lembrar as tais obrigações de dívida colateralizadas que foram, parece, a causa do desmoronamento de bancos e seguradoras, e em que se embrulha(va)m hipotecas de risco com outros activos de maneira a mascarar o conteúdo.

À primeira vista pelo menos, os gastos da campanha republicana com a imagem da sua candidata à vice-presidência são uma opção daquela, e ninguém tem que se queixar.

As despesas de viagens das filhas da governadora Palin serem debitadas nas contas oficiais do estado é que não parece bem. Lembro-me, obviamente, do escândalo das viagens dos deputados portugueses (que suponho não passou do escândalo, ou passou?)

Mas há dois pontos a relevar na história dos gastos em roupa e cabeleireiro, e um deles está bem escondido: o primeiro é que quem doou dinheiro à campanha McCain pode não gostar da forma como estes 150,000 dólares foram gastos. E o segundo, o tal escondido, é que McCain beneficiou de financiamento federal: por conseguinte, a roupa e o cabeleireiro foram em parte pagos por todos os contribuintes americanos.

7 comentários:

Carlota disse...

Gi,
Mas ela vai doar a roupa (comprada em boutiques de luxo) a instituições de caridade depois das eleições. Pois. Pois vai.Vai, vai!
(Fonte dN (hoje))
Beijinho.

Gi disse...

Sim, eu li isso, Carlota. Vai (talvez) doar a roupa porque a lebre foi levantada. Digo já, para que conste, que eu no lugar dela não doava coisa nenhuma, acho uma parvoíce.

E já agora, essa história de doar depois das eleições - isso quer dizer que não pensa ser eleita, não é? Porque se for, vai precisar de manter a imagem (e a roupa), ou não?

Os deuses me valham, a estupidez é demais.

Moura Aveirense disse...

:) Ai, ai, Mrs. Palin... Estarei na próxima semana nos EUA, a sentir a "vibração" da semana anterior às eleições!

Beijinho, Moura Aveirense

Paulo disse...

As tricas das eleições nos EUA atingem níveis muito superiores aos dos mexericos da nossa simples politiquice. Felizmente isto está quase a acabar e, esperemos, daqui por uns tempos, quando alguém mencionar essa senhora, pergunta-se: "Quem?".

(E ela já utilizou mais que os dez minutos de fama a que tinha direito.)

Gi disse...

O que eu não entendo é que McCain não tenha encontrado no partido republicano uma mulher inteligente e culta que pudesse convidar para a sua equipa.

Moura, espero que tenha acesso ao seu blog na América e nos faça uma mini-reportagem :-)

Moura Aveirense disse...

Of course :) My laptop will be always with me ;) Please keep posted...

Regards, Moura Aveirense

Carlota disse...

Gi,
Completamente de acordo. Agora que se deu ao trabalho de gastar a dinheirama nas boutiques de luxo, vai doar a roupa que do género que é não fará falta a nenhuma instituição de caridade (para as pessoas carenciadas vestirem) e claro, apenas o disse porque foi "apanhada" em "flagrante". Caramba, alguém acha que se acredita nestas coisas, ou que a estupidez no seu estado bruto apazigua os actos?!