segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Diferente

As palavras são do A., mas eu não diria melhor:

Desta vez vai ser diferente. Na minha próxima viagem que farei brevemente, não irei viajar com um cão. Para além do meu, levarei mais 4 cães. São cães abandonados no Algarve e recolhidos por estrangeiros neste país de selvagens, e que entregarei na Alemanha a uma organização que recolhe os animais abandonados em Portugal, para serem adoptados por famílias alemãs.


(Albufeira, Setembro 2012)

E isto acontece depois de neste fim de semana passado ter tentado almoçar numa das esplanadas do paredão do Tamariz, no Estoril. Em nenhuma da 3 esplanados existentes no paredão, completamente ao ar livre e sobre a praia, me deixaram sentar pois estava acompanhado do meu cão. De facto, neste país de mouros, ter um cão continua a ser um crime e uma tarefa impossivel.

24 comentários:

João Afonso Machado disse...

Tente os dogues argentinos, os pitbull ou raças assim, Gi. Estão com muita saída, passeiam com toda a liberdade e os resultados que conhecemos dos jornais.
E boas férias!!!

Catarina disse...

Lamentavelmente, é o que acontece com frequência em Portugal.
Sei de alguém, que vive temporariamente em Inglaterra, que foi passear a uma cidade perto de onde habita, levou o seu cão que foi autorizado a ficar no quarto do hotel e a entrar no restaurante do mesmo onde tomou o pequeno-almoço e nos outros onde almoçou e jantou. E tenho fotos que confirmam o relato! : )
Outros países, outras gentes, outros hábitos.

Goldfish disse...

O que eu acho mesmo curioso é o que me parece ser o resultado prático desta mentalidade pequenina. A minha Luna é pequenina e bonitinha e fez sucesso com tudo quando é crianças (e adultos) por essa europa fora. Nunca me hei de esquecer de um grupo de crianças que passou de bicicleta por nós em Amesterdão, cada menino que passava soltava um "Ohhh" derretido ao olhar para ela, numa sequência que me derreteu. Cá, a maioria da crianças encolhe-se, foge, espalma-se contra a parede aterrorizados de um bicho com 6kg, que vai pela trelha e não lhes liga nenhuma!!! É triste e, pior, não augura nada de bom.

Gi disse...

João Afonso, está a sugerir que se podem largar às canelas de quem lhes proíbe a entrada? ;-)

Gi disse...

Catarina, em passando os Pirinéus o meu cão entra em quase todo o lado.
Infelizmente o Canadá e sobretudo os Estados-Unidos são menos dog-friendly do que se poderia esperar.

Gi disse...

Goldfish, tenho essa mesma experiência em praticamente toda a Europa, e mesmo em Portugal, se o deixarem entrar, além de se portar lindamente o Jr faz sucesso: é ver os sorrisos nas caras das pessoas à medida que ele passa.

Fanático_Um disse...

Acabo de chegar de Hamburgo.
Os cães podem entrar em todo o lado, restaurantes, transportes públicos, lojas, escritórios e tudo o mais. Um familiar que lá trabalha contou-me que, na empresa dele, há mais de 15 cães diariamente nos escritórios. Toda a gente na rua apanha os dejectos dos cães, claro! E, nunca tinha reparado antes, mas nas lojas há recipientes para os cães beberem e, se o dono o pedir, é sempre disponibilizado.
Também é "muito aconselhável" que os cães frequentem escolas para saberem como se comportar... e, de facto, resulta!
E o que foi verdadeiramente novo para mim foi, numa das típicas feiras de rua tão frequentes na Alemanha, haver uma barraquita só com artigos para cães! E esteve sempre tão concorrida como as das salsichas para os donos!
Enfim, a Europa não é, de todo, igual, apesar de se insistir na união europeia alargada (pelo menos até ao agudizar da crise!).

Paulo disse...

Na Alemanha há operadores turísticos especializados em viagens com cães, principalmente dedicados às caminhadas.
Podes folhear o catálogo.

Gi disse...

Fanático_Um, devo ir a Hamburgo brevemente!
Os alemães tratam muito bem os cães, que são civilizadíssimos. Frequentemente, em cafés e restaurantes, os empregados trazem água para o Jr ainda antes de termos feito o nosso pedido.

Gi disse...

Paulo, não fazia ideia e acho fantástico. Porque é que eu não nasci na Alemanha?

mfc disse...

É nestas coisas que ressalta o país de mentecaptos que continuamos a ser!

Beijinhos,

Magia da Inês disse...

¸.•°`♥✿彡

Passei para visitá-la.
Boa semana!
Beijinhos.
Brasil
¸.•°`彡

Gi disse...

Mfc, dizes bem.

Gi disse...

Magia da Inês, obrigada pela visita. Esta semana estou em férias!
Bjs para si.

Rachelet disse...

Dos cerca de 40 países onde já estive (da Escandinávia ao Médio Oriente), só Portugal tem estas restrições idiotas. Não existem cães mal comportados, só donos que não sabem educar.
Normalmente, nesses sítios há sempre a criancinha aos berros desalmados, a incomodar muito mais, e aos pais ninguém se lembra de proibir a entrada.

kuka disse...

No meu restaurante, não entram cães (de 4 patas). Não que eu me importe! Possuo cães e gatos e adoro animais. Mas posso ser multado se os tiver no interior do estabelecimento. Já tenho corrido esse risco, mas...

Gi disse...

Rachelet, infelizmente já tive algumas más experiências em países que julgava dog-friendly: em Londres muitos donos de restaurantes julgam que a lei não os deixa aceitar animais, e nos Estados Unidos não deixa mesmo. Por isso tanto num lado como noutro só pudemos comer em esplanadas.
Mas chegar ao ponto de, no Estoril, nos recusarem a entrada em esplanadas, achámos insultuoso.

Gi disse...

Kuka, lamento muito que tenha essa ideia. A não ser que haja alguma lei mais recente, o artigo 14 n.3 do Decreto-Lei nº 234/2007 de 19 de Junho de 2007 diz que "Nos estabelecimentos de restauração ou de bebidas pode ser recusado o acesso a pessoas que se façam acompanhar por animais, salvo quando se tratar de cães de guia e desde que essa restrição esteja devidamente publicitada."

"pode ser recusado" quer dizer que pode não ser. Ou seja, depende da vontade do dono do restaurante aceitar ou não, e só se resolver recusar é que tem de afixar o letreiro.

Pode encontrar a lei aqui. Não é má ideia tê-la à mão.

kuka disse...

Pois vou consultar a HISA.
Foram eles que me induziram a isso.
Obrigado pelo esclarecimento.

camalees disse...

Como dona de uma cadela maravilhosa partilho a sua indignação.
Venha à Alemanha e verá a diferença de tratamento.

Gi disse...

Helena, acabo de regressar daí :-)

kuka disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
kuka disse...

Pode consultar a portaria 215/2011 de 31-05. Veja o artigo 12.

Gi disse...

Kuka, muito obrigada. Não conhecia. Fiquei desolada, como calcula. Afinal os restaurantes que me recusaram a entrada têm razão, existe mesmo uma lei mais recente, socretina, anti-donos de cães :-(