quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Um rei timorense?

Lê-se o discurso que o Senhor Dom Duarte fez ontem no Jantar dos Conjurados - também em video no YouTube ou em resumo aqui - e encontra-se ali bom senso, serenidade, e valores e sugestões importantes para Portugal e para os portugueses.

Depois lê-se nos jornais que o mesmo Dom Duarte pretende obter a nacionalidade timorense por ter com Timor relações profundas, e pergunta-se onde está o bom senso. É verdade que Dom Duarte sempre foi amigo e defensor do povo timorense, mas pedir a nacionalidade?

Este homem não é um português qualquer imigrado noutro país, que sentindo-se integrado tanto como (ou mais que) em Portugal pede a nacionalidade respectiva. Não é sequer um artista que, acarinhado igualmente noutro país, pede também a dupla nacionalidade. É o pretendente a Rei de Portugal.

Pode o pretendente a Rei de Portugal amar outro país a ponto de desejar uma segunda nacionalidade?
Não terá o compromisso do Rei com o seu povo de ser total e inequívoco? Se para ele Timor e Portugal valem o mesmo, isso quer dizer que está preparado para ser Rei de um como de outro? Ou nem de um nem de outro?

Como se pode ser Rei de um país e simples cidadão de outro?

7 comentários:

Moura Aveirense disse...

Confesso que não suporto a personagem.

Goldfish disse...

Vais perdoar-me a preguiça de ir ouvir / ler o que disse o senhor e dizer-me se ele falou ou não em pedir a nacionalidade timorense, certo? É que eu desconfio sempre do que se diz nos jornais mas realmente, se o fez, é algo muito estranho para quem tem a pretenção de ser rei.

Gi disse...

Moura, eu simpatizo com ele, mas acho esta atitude, se verdadeira, uma idiotice.

Goldfish, o discurso é sobre a situação portuguesa e a necessidade de mudar de vida tomando opções mais sustentáveis. O pedido da nacionalidade timorense aparece àparte, em jornais como o DN e o CM, e a página oficial no Facebook transcreve a notícia do CM, por isso eu pus lá as minhas interrogações, a ver se alguém me responde em vez de se limitarem a dar vivas ao rei.

Goldfish disse...

Ok, então pode (deve) ser tanga. Estou mais descansada (pelo menos enquanto semelhante coisa não for confirmada), porque apesar de achar que nunca será rei, sempre é mais confortante ter um pretendente que é só português - olha se aparece um "Napoleão" e o rei resolve instalar a capital em Dili?!?

Gi disse...

É mesmo verdade, Goldfish, confirmado pelo próprio em entrevista televisiva que está aqui.

Parece-me que o que ele quer é uma espécie de cidadania honorária, já que diz que se outras ex-colónias lhe concedessem as respectivas nacionalidades teria uma grande alegria.

De qualquer maneira, as autoridades timorenses devem ter achado a coisa tão estranha como nós, visto que ainda estão a estudar o assunto...

Luísa disse...

Se calhar, Dom Duarte já não tem esperanças de se ver coroado neste jardim à beira-mar plantado. Mas em Timor, com a confusão que lá está, quiçá… ;-D

Gi disse...

Luísa, se calhar arma-se em D. Pedro IV, faz-se rei em Timor e entroniza um dos filhos aqui ;-) Mas ele descende de D. Miguel, fica complicado.