quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Natal sem luzes

Não sei o que se passa no resto do país, mas em Albufeira este ano não há iluminações de Natal. Só um letreiro à entrada da cidade para quem vem da autoestrada. Em Lisboa também nada vi: aquela espécie de cogumelos Disney em volta da estátua do marquês de Pombal não dá luz e obviamente não conta*.

Toda a gente parece achar normal esta austeridade, contentando-se em lamentá-la com ar compungido.

(Hoje, na minha janela)

Mas a pergunta que ninguém faz (excepto o A., esta tarde) é: o que aconteceu às luzes dos anos anteriores? Não se podem reutilizar? Não sobrou nada? Foi tudo para o lixo?
Por outras palavras: que desperdício foi esse a juntar aos outros? E os senhores autarcas ainda andam aí?


*Para quem não sabe a que cogumelos me refiro, ei-los aqui.

9 comentários:

Paulo disse...

Em Lisboa há poucas iluminações (o que me alivia bastante, confesso) e suponho que são recicladas. Mas além disso há que contabilizar os custos da montagem e da electricidade.
Posso estar enganado, mas é o que deduzo.

Já os cogumelos do Marquês iam directos para o lixo.

Mário disse...

Já tenho comentado: onde estão os pais-natal de varanda? e os pisa-pisca? pelos vistos, cada um assumiu também em sua casa a austeridade ao ponto de nem sequer reutilizar os monos do ano anterior. Será para poupar na eleCtricidade? ou é mesmo síndroma da depressão coletiva?

Mário disse...

aliás, coleCtiva ?

Catarina disse...

Tanto Lisboa como Albufeira devem ter um aspeto bem tristonho. Nem a meia-laranja foi iluminada?
Abraco

Isa disse...

uma palhaçada, Gi. demagogia pura... e uma tristeza, credo...

mfc disse...

Sinceramente acho que é um desperdício de que podemos muito bem prescindir!
Não nos fará falta...!

Gi disse...

Caríssimos, eu acho tudo isto muito triste. Se calhar o Paulo e o Mfc têm razão, e deve-se poupar na electricidade (que ainda por cima agora é parcialmente chinesa), até porque se houvesse luzes o pessoal queixava-se, com razão, de que aí se gastavam os nossos subsídios e dias de férias/feriados.
Só que umas estrelinhas a brilhar talvez fizessem parecer o presente muenos negro, já que o futuro não dá hipótese...

George Sand disse...

Com ou sem luzes.Muitas vezes sem luzes, erá no entanto, sempre Natal.
Para si Gi e para os seus leitores e demais comentadores, um Feliz Natal.

Gi disse...

George Sand, obrigada, Feliz Natal também para si e para os seus.