quinta-feira, 10 de julho de 2008

Operar ou não operar

Nos comentários aos posts d' O Mundo Perfeito sobre cirurgia plástica foi afirmado que as pessoas são livres como indivíduos para fazerem o que quiserem das suas vidas e dos seus corpos. A frase é da Fevereiro, que fez mesmo a comparação com estrear um vestidinho novo.

Não é bem o mesmo, desde logo porque a cirurgia plástica não é isenta de riscos (como qualquer outra cirurgia!) e também porque não é um acto individual: envolve e responsabiliza não só o paciente mas igualmente o cirurgião que opera.

Por conseguinte, o cirurgião tem de poder recusar o paciente, por motivos técnicos ou éticos, incluindo por, na sua opinião, o paciente estar a pedir uma cirurgia que não vai resolver o seu verdadeiro problema.




Ou seja: se o paciente disser que não come nem bebe se não se lhe fizer o nariz igual ao do Brad Pitt, a solução não é operar e cobrar: é enviar ao psiquiatra. Não estou a brincar.

Foto de Tanaya M. Harms (domínio público)

5 comentários:

Fevereiro disse...

Olá Gi,
Sim, é minha a frase e repito-a, sabes, existem realidades completamente diferentes das nossas e vidas muito diferentes das nossas vidinhas, diremos, mais normais. Pessoas para quem uma plástica é uma cois corriqueira de se fazer. Fazem-na e não pensam nisso. Se é bom ou mau, para ti pode ser um horror, para elas é rotineiro. E não temos o direito de criticar o que não compreendemos.
Mas, já falámos sobre isto!
Beijinho e obrigada por me referires no teu blog;o)

Paulo disse...

Eu também acho que se se pedir um nariz igual ao do Brad Pitt, a solução é a psiquiatria. No seu perfeito juízo, ninguém pede apenas o nariz.

E agora a sério: Gi, concordo plenamente consigo.

Gi disse...

ROFLMAO, Paulo!

Xantipa disse...

Tens razão, Gi. Não se trata aqui de criticar. Podes criticar os chocolates que como e alertar-me para os problemas que a gordura traz, mas não preciso de ti para os comer.
Já uma cirurgia implica comprometer outra pessoa. Não há aqui apenas o meu querer.
Beijinhos

P.S. Tenho a ideia que é no próximo «Câmara Clara» (não sei se é hoje)vão falar do que o teu César acharia da União Europeia.

Gi disse...

O meu César? bem, tenho de ver esse programa (costuma ser no domingo)
Vou irritar-me quase com certeza :-(