terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Numa terra distante

Estou completamente apaixonada por esta ária. Cantada assim mesmo.

6 comentários:

FanaticoUm disse...

Gi, já teve oportunidade de ver o Lohengrin de Munique com o Kaufmann, a Harteros e a Schuster? Está acessível no youtube, o Mezzo transmitiu-o no Sábado passado (e deverá repetir por estes dias) e penso que há em DVD. A encenação é horrenda mas as interpretações vocais são fantásticas. E o 3º acto, onde este e vários outros trechos estão incluídos, é vocalmente excepcional, com os cantores em excelente forma!
Seguramente que já deve ter visto mas, se por acaso não teve essa oportunidade, aconselho vivamente.
E obrigado por nos facilitar o acesso a esta interpretação. Conto-me igualmente entre os admiradores deste tenor com laivos baritonais de beleza invulgar, também quando canta papeis wagnerianos.

Gi disse...

FanaticoUm, vi precisamente esse Lohengrin no mezzo no sábado passado e concordo consigo, a encenação é um horror e os cantores são fantásticos.

Estou com imensa vontade de ouvir Kaufmann outra vez ao vivo :-)

mfc disse...

Arrebatante!

Paulo disse...

Parece-me natural que estejas apaixonada. In fernem Land é um portento. E o Jonas é o Jonas.

Mário disse...

Muito bom, sim. Certamente irrepetível.

Gi disse...

Mário, irrepetível porquê?