segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Papoilas e militares

Enquanto em Portugal nos últimos 35 anos conseguimos convencer-nos de que não gostamos e não precisamos de Forças Armadas, de que os nossos militares foram bandidos que andaram a travar a luta pela independência de povos subjugados, e finalmente de que um militar é um funcionário público igual aos outros e por conseguinte excedentário, em Inglaterra há organizações que procuram dar apoio aos militares e suas famílias, desde os que estão envolvidos no atoleiro do Afeganistão aos que lutaram em guerras passadas.



(Bath, Novembro 2009)

Nesta altura do ano os ingleses fazem peditórios e passeiam-se com papoilas na lapela em honra aos seus militares. Notei que os peditórios são civilizadíssimos, que ninguém de facto pede mas quem quer dá.

3 comentários:

lalage disse...

Que bom vivermos em paz, podemos usar o dinheiro para construir e não para destruir :)
"In Flanders fields the poppies blow..."
http://www.apforum.org/flander.htm

Mário disse...

É a diferença entre quem dá, se sacrifica e se responsabiliza pela humanidade e quem se fecha em concha egoísta "não temos nada que lá ir fazer". A diferença entre uma generosidade planetária que pode arruinar o bolso, e a mentalidade mesquinha de bairro "aah ao menos aqui não há guerra, aproveitemos...".

Sempre apreciei mais a nobreza nórdica que a vileza mediterrânica. Peço perdão aos ofendidos.

Gi disse...

Lalage, Mário, concorde-se ou não com as guerras em que combateram/combatem, a verdade é que quem lá esteve/está merece o nosso reconhecimento, não é?