quinta-feira, 13 de maio de 2010

Percentagens

A prova de que a educação vai mal em Portugal, nomeadamente os conhecimentos de português e de matemática, está nas notícias de hoje de alguns meios de comunicação social como o Diário de Notícias, o i, a SIC e o Correio da Manhã (este na edição impressa, a online já vem corrigida), que afirmam que o IVA vai subir 1% em todos os escalões.

O que o desgoverno diz é que vai subir um ponto percentual, ou seja, de 20 para 21%, de 12 para 13% e de 5 para 6%. E isso, na realidade, corresponde a aumentos de 5%, de 8.3% e de 20% respectivamente. Vinte por cento nos produtos alimentares e medicamentos, está bem?

E das duas uma: ou teremos aumentos nos preços, ou as margens de lucro dos comerciantes vão diminuir. Isso é bom para a economia? Dispenso-me de responder.

6 comentários:

Mário disse...

Muito bem Gi , é isso mesmo; mas algum jornalista foi capaz de explicar o "ponto percentual"? Apostam todos na ignorância de quem os ouvem e isso é o máximo dos desprezos.

Na Matemática do Básico devia haver um item obrigatório: "mentiras com estatística e percentagens".

cristina ribeiro disse...

Este 4º poder anda pelas ruas da amargura.

Mário disse...

Gozando, para mim a melhor é a do juiz que condenou o vilão a pagar 1/6 do venciemto durante 6 meses. Perante recurso da defesa, decidiu reduzir a pena a 1/5 :)))

Gi disse...

Também li essa história, Mário :-)

Cristina, de facto todos os poderes andam pelas ruas da amargura.

Goldfish disse...

Tenho para mim que estas notícias não surgem por os jornalistas crerem na ignorância dos outros nem por o ensino da matemática estar mal no país. Como licenciada em jornalismo posso dizer-vos que já não me lembrava da pequena-grande diferença entre dizer que aumenta 1% ou 1 ponto percentual. Ah, e as minhas notas a matemática sempre foram óptimas. A questão é que poucos jornalistas são especializados em algo (nomeadamente, economia), muitos trabalham a recibos verdes e andam a saltitar de órgão de comunicação social em órgão de comunicação social, sem posto garantido. O (mesmo que seja pouco) que se aprendeu esconde-se nas pregas da mamória e não há grande incentivo para o recuperar... (Não quero dar uma justificação para os erros, apenas apontar algumas prováveis causas).

Gi disse...

Goldfish, tu já não trabalhas como jornalista há algum tempo, não é? e talvez hoje não te preocupes tanto com esses detalhes.

O jornalismo que aqui se faz é mau: muito copy-paste, pouca investigação séria, para já não falar de manipulação e desinformação, que já são níveis diferentes.

Até acredito que os jornalistas não tenham incentivos para melhorar, porque continuamos com uma cultura de mediocridade.